Google compra site de mapas Waze; valor pode passar de US$ 1 bi

O Google finalmente anunciou a compra do serviço colaborativo de mapas Waze, de Israel, que vinha sendo especulada há meses.

A empresa divulgou a informação através de seu blog oficial, mas não indicou o valor do negócio. Nos últimos dias, fontes do jornal israelense Globes informaram que a empresa de Larry Page iria pagar US$ 1,3 bilhão; já a agência Bloomberg disse que o valor é US$ 1,1 bilhão.

Com o fechamento do acordo, o Google frustrou os interesses de Facebook e Apple, que também estariam interessados no aplicativo israelense e até teriam iniciado negociações.

Gratuito, o Waze é um aplicativo de “mapa social” para smartphones e tablets, que usa o GPS e dados postados por seus usuários para calcular o trânsito das ruas e sugerir a melhor rota para os motoristas. Em 2012, o serviço triplicou sua base ativa, atingindo cerca de 47 milhões de cadastrados em todos o mundo, sendo mais de 2 milhões apenas no Brasil.

O app, eleito pela Apple o melhor de 2012, tem versões para smartphones e tablets com sistemas operacionais Android, BlackBerry, iOS, Symbian e Windows Phone. Segundos a mídia especializada, o Waze faturou US$ 1 milhão no ano passado, a maior parte oriunda de publicidade.

REPERCUSSÃO

“Estamos entusiasmados com a perspectiva de melhorar o Google Maps com os recursos de atualização de tráfego fornecidos pelo Waze e melhorar o nosso produto com os recursos de busca do Google”, afirmou Brian McClendon, vice-presidente dos serviços de geolocalização do Google.

A equipe do Waze não irá se mudar para o escritório do Google na Califórnia, vai permanecer com suas operações em Israel. A relutância em levar a empresa para os EUA é o fator que teria levado à desistência do Facebook pela aquisição.

“Na prática, nada vai mudar aqui no Waze. Nós vamos manter nossa comunidade, marca, serviço e organização -a hierarquia, as responsabilidades e os processos da equipe continuarão os mesmos”, informou Noam Bardin, presidente-executivo do Waze, no blog oficial da empresa.

Agora, o único empecilho para que a compra se concretize é que ela pode enfrentar problemas com leis antitruste, visto que o Google já é líder do segmento de mapas on-line.

CONCORRÊNCIA

A Apple anunciou na última segunda-feira, em sua conferência anual de desenvolvedores, que o seu serviço de geolocalização foi renovado para nova edição do sistema operacional móvel da empresa, o iOS 7, previsto para ser lançado em setembro.

A empresa deu a entender que não irá repetir os problemas do aplicativo de mapas do iOS 6 -antes de ser corrigido, o sistema, entre outras coisas, indicava que o motorista se jogasse com o carro de uma ponte para chegar ao seu destino.

Sobre a navegação e uso de GPS, a Apple informou ainda que, partir de 2014, será possível integrar iPhone, iPad e iPod Touch com painéis eletrônicos de carros de luxo. O objetivo, segundo anunciado, é facilitar o uso do serviço por motoristas e aumentar a segurança ao volante.

Fonte: Folha de São Paulo

Maurílio Fontes

Proprietário, jornalista, diretor e responsável pelo Portal Alagoinhas Hoje