Geddel está em Salvador e cumpre prisão domiciliar sem tornozeleira

O ex-ministro Geddel Vieira Lima (PMDB) está, desde a madrugada desta sexta-feira, 14, cumprindo prisão domiciliar em Salvador, após dez dias preso na Papuda, em Brasília, por ordem do juiz Vallisney Oliveira, da 10ª Vara Federal do Distrito Federal.

Geddel chegou à capital baiana  em um jatinho particular. No pequeno grupo que o acompanhava estava a filha mais velha, de 18 anos.

Do aeroporto, o peemedebista seguiu para seu apartamento, no condomínio Pedra do Valle, que fica na rua Plínio Moscoso, no Jardim Apipema.

A imprensa acompanhou durante toda a sexta a movimentação na porta do condomínio, na expectativa de obter alguma informação do ex-ministro. Moradores e funcionários disseram nada saber.

Pessoas próximas a Geddel informaram ao A TARDE que ele reservou o dia para estar apenas com familiares. Na noite de quinta-feira, dia que foi anunciado que o peemedebista seria solto, a esposa de Geddel, com quem está casado há 20 anos, foi vista na Perini da Graça. No carrinho, garrafas de vinhos, uísque e queijos.

Tornozeleira

Geddel foi preso no âmbito da Operação Cui Bono acusado de pressionar a mulher do doleiro Lúcio Funaro, Raquel Pitta, para evitar que ele faça delação premiada.

Ao tirar Geddel do regime fechado, o desembargador federal Ney Bello impôs uma condição: a instalação da tornozeleira no ex-ministro, cujo monitoramento eletrônico ficaria sob a responsabilidade da Polícia Federal na Bahia.

O magistrado deu 48 horas para a superintendência regional da PF tomar a providência. Mas nesta sexta, a PF em Salvador afirmou em nota que não dispões desse sistema e que “tal função não é afeta à atividade de polícia judiciária desempenhada pela Polícia Federal, e sim ao sistema prisional, seja ele o federal ou o estadual”.

A nota da PF diz, ainda, que a impossibilidade de cumprimento da decisão judicial foi informada à 10ª Vara Federal do DF.

Licitação

A Secretaria de Administração Penitenciária e Ressocialização do Estado da Bahia (Seap) informou que não possui tornozeleiras eletrônicas no momento. A pasta garante que abriu duas licitações para aquisição do equipamento.

Em nota, a Seap-BA informa que a primeira licitação visa a aquisição de 300 tornozeleiras eletrônicas com recurso federal e estadual, e a segunda prevê a obtenção de 3.200 tornozeleiras com recurso próprio do governo do Estado.

“A primeira licitação está em fase final de homologação e a Seap prevê a chegada do equipamento no mês de agosto do ano corrente. Quanto à segunda licitação, ainda não é possível estipular o prazo em virtude dos trâmites legais do processo licitatório”, diz a nota.

A Tarde entrou em contato com a assessoria de imprensa do Tribunal Regional da 1ª Região (TRF-1), em Brasília, a fim de saber que solução o desembargador federal Ney Bello dará para o caso, mas até o fechamento desta edição não obteve resposta.

 

Fonte: A Tarde

Maurílio Fontes

Proprietário, jornalista, diretor e responsável pelo Portal Alagoinhas Hoje