Gasto em publicidade no Brasil será mais forte que no mundo

O ritmo do investimento em publicidade no Brasil será mais acelerado que o avanço médio do setor no mundo nos próximos anos, segundo a consultoria PwC.

Enquanto o gasto médio com publicidade em TVs, jornais, rádios e sites deve aumentar 4,4% ao ano no mundo até 2018, para o Brasil, a variação será de 8,5%, segundo pesquisa baseada em dados de mais de 50 países.

“O grande destino de investimentos publicitários responsável por esse aquecimento continua sendo a televisão, mas o novo alavancador disso tudo é a internet”, diz Marcelo Lima Ribeiro, gerente sênior da consultoria.

O país também se destaca no ritmo dos meios ditos tradicionais, como o jornal, que deve alcançar US$ 4,8 bilhões em 2018, com alta de mais de 4% no Brasil, ante uma variação de 0,1% no mundo.

Editoria de Arte/Folhapress

O avanço médio estimado para publicidade na internet mundialmente é de quase 11% entre 2013 e 2018.

No Brasil, a publicidade veiculada nesse canal vai crescer quase 17%, chegando a US$ 3,3 bilhões em números absolutos. Na TV, o aumento de cerca de 9% deve levar os investimentos a US$ 11 bilhões em 2018.

Com o avanço, a participação da internet no mercado publicitário também deve ganhar relevância, saltando de 11% para 16% no período. A parcela da televisão deve variar de 53% para 54%.

“Quando comparamos com o mundo, o Brasil vai ser mais acelerado que os demais países por causa do cenário interno de penetração da banda larga, dos smartphones e tablets e da ascensão da classe média nos últimos anos”, diz Ribeiro.

Além dos desembolsos que as empresas farão em publicidade nos próximos anos, o estudo aborda gastos do consumidor com serviços de mídia e entretenimento, como acesso a internet e TV a cabo.

Em cinco anos, todos os segmentos de tal indústria, que abrange ainda cinema, livros e games, devem sair de US$ 1,77 trilhão em 2013 para US$ 2,3 trilhões em 2018 no mundo. No Brasil, a indústria de mídia e entretenimento deve saltar de US$ 42,2 bilhões para US$ 68,8 bilhões.

Fonte: Folha de São Paulo

Maurílio Fontes

Proprietário, jornalista, diretor e responsável pelo Portal Alagoinhas Hoje