Emprego na indústria interrompe queda após cinco meses de retração

Afetado pelo pessimismo de empresários e o fraco crescimento do setor neste ano, o emprego na indústria parou de cair em outubro, após cinco meses seguidos de retração, mas ainda acumula perdas no ano.

Segundo dados divulgados pelo IBGE na manhã desta quarta-feira (11), o total do pessoal ocupado assalariado na indústria registrou variação positiva de 0,1% na comparação com setembro.

O número não pode ser lido, diz o IBGE, como uma recuperação e está muito distante de recuperar as perdas dos cinco meses consecutivos de quedas, período no qual o emprego acumula perda de 1,8%.

Outros indicadores apontam para um cenário ruim para o emprego industrial, que sofre com um fraco ritmo de produção por dois anos seguidos e mais recentemente com juros mais altos e inadimplência maior. Esses fatores levam empresários a preverem um consumo mais fraco e não abrem novas vagas.

Em relação a outubro de 2012, o setor fabril cortou 1,7% das vagas. Trata-se do 25º resultado negativo consecutivo nesse tipo de confronto e o mais intenso desde setembro de 2012 (-1,9%).

No índice acumulado de janeiro a outubro, o emprego caiu 1%. Já no índice acumulado nos últimos doze meses, a perda também ficou em 1%. Sem perspectivas de melhora nesses dois últimos meses do ano, o emprego na indústria tende fechar 2013 com ritmo semelhante de queda, segundo analistas.

Fonte: Folha de São Paulo

Maurílio Fontes

Proprietário, jornalista, diretor e responsável pelo Portal Alagoinhas Hoje