Documento interno do PT tem propostas polêmicas

ESTRELA DO PT

A preparação do PT para a realização do 5º Congresso Nacional do partido, que ocorrerá entre os dias 11 e 13 de junho, conta com o posicionamento e avaliação das tendências internas do partido. Disponíveis no próprio site da sigla, alguns relatórios enviados causaram polêmica nas redes sociais e são capazes de assustar políticos oposicionistas e até mesmo membros de alas mais moderadas da legenda. Um dos cadernos de teses, feito pela tendência “Articulação de Esquerda”, possui o título de “Um partido para tempos de guerra”.

Em seu conteúdo, além de críticas ao próprio governo federal e o modelo econômico adotado, há tópicos que fazem propostas ousadas e radicais. O projeto cita, ainda, a importância do atual comando do governo de Minas para “desmascarar” oposicionistas. Uma das propostas, citada no tópico 78, é que o partido precisa se tornar “hegemônico no governo”, sendo que esta condição precisaria ser “conquistada e construída para sermos hegemônicos no poder de Estado”.

A hegemonia também é citada no artigo 122, em que o texto afirma que uma mudança social profunda só será alcançada quando uma “mudança cultural na visão de mundo da população” ocorrer. “Necessitamos tornar hegemônicos os valores democráticos, populares e socialistas”.

Outra tese polêmica é a de que, para combater as ofensivas do PSDB ao governo federal, o governo Fernando Pimentel seria imprescindível, sendo usado para atacar o “modo tucano de governar”. O documento pede, ainda, a estatização da Rede Globo e a cassação do deputado federal Jair Bolsonaro (PP-RJ) e dos ministros do STF que atuaram no que chamam de “farsa do julgamento da Ação Penal 470 (mensalão), em 2012”. 

Maurílio Fontes

Proprietário, jornalista, diretor e responsável pelo Portal Alagoinhas Hoje