Divergências fazem Aécio romper com marqueteiro

A poucos meses da largada eleitoral, o senador Aécio Neves (PSDB-MG), hoje o principal candidato da oposição à Presidência da República, terá de trocar seu marqueteiro de campanha.

Segundo a Folha apurou, o antropólogo e publicitário Renato Pereira e o senador mineiro romperam o contrato iniciado no primeiro semestre para a realização dos programas de TV do PSDB.

O encerramento da parceria se deu por “diferenças de visões” na condução da estratégia de comunicação.

O afastamento foi formalizado nos primeiros dias do mês, mas mantido em segredo. Hoje, Aécio lança um documento com 12 propostas para o país. O rompimento só seria divulgado depois.

Nos bastidores, mesmo quando as chances de cancelamento do contrato já eram grandes, o senador se mostrava satisfeito com o resultado do seu programa partidário, veiculado em setembro, produzido por Pereira.

Entretanto, o pré-candidato pouco adotou os conselhos do marqueteiro para o segundo semestre.

Tucanos afirmam, por exemplo, que Renato Pereira insistia para que Aécio Neves rodasse o Brasil com uma agenda mais distante da política tradicional, enquanto o senador se concentrava em agendas partidárias.

A contratação de Pereira, um dos sócios da agência Prole, era apontada pelo próprio senador como um dos trunfos de sua escalada para tentar chegar ao Palácio do Planalto no ano que vem.

Nem Pereira nem Aécio foram localizados ontem para comentar o rompimento, que, no entanto, é confirmado por pessoas próximas a ambos.

Quem procurou o senador para indagar sobre o assunto nos últimos dias ouviu que a parceria estava mantida até o fim do mês e que não havia garantias de renovação.

Evitava, assim, dar o rompimento como definitivo.

Aécio tem dito que gostaria de adotar uma espécie de estrutura colegiada para cuidar do marketing de sua campanha, como fez nas eleições que disputou em Minas.

Responsável por todas as últimas eleições do governador Sérgio Cabral (PMDB), Renato Pereira é visto no mercado como uma das revelações do marketing político.

Fez também a campanha de Henrique Capriles contra Hugo Chávez, na Venezuela, em 2012, ocasião em que enfrentou o brasileiro João Santana, que pilotará a campanha de Dilma Rousseff.

Houve, desde o início da parceria entre Pereira e Aécio, uma diferença de estilos e concepção de comunicação.

O senador mineiro achava que deveria repetir a receita que lhe deu a vitória duas vezes em Minas, enquanto a equipe do publicitário se ressentia de falta de autonomia.

Apesar da não renovação, os dois encerraram a parceria em clima amistoso. Aécio só vai definir a nova equipe de marketing em 2014.

Tucanos defendem um nome conhecido nacionalmente, mas aliados mineiros do senador gostariam que ele recorresse à dupla Rui Rodrigues e Paulo Vasconcellos, que fez as campanhas do partido em Minas desde 2002.

Fonte: Folha de São Paulo

Maurílio Fontes

Proprietário, jornalista, diretor e responsável pelo Portal Alagoinhas Hoje