Cunha entra com queixa-crime no STF contra Jean Wyllys

eduardo-cunha

O presidente afastado da Câmara Eduardo Cunha (PMDB) entrou com uma queixa-crime por calúnia, difamação e injúria contra o deputado federal Jean Wyllys (PSOL) no Supremo Tribunal Federal (STF).

O peemedebista acusa Wyllys de ferir sua honra e dignidade, além de ter cometido quebra de decoro parlamentar quando proferiu o seu voto em sessão da Câmara na qual se decidiu pela continuidade do processo de impeachment da presidente afastada Dilma Rousseff.

A defesa de Cunha diz que que o socialista “de maneira direta e dolosa formulou violentos ataques verbais contra o ofendido, ferindo-lhe a honra, a dignidade e o decoro”, de acordo com a Folha de S. Paulo.

Em seu voto, o parlamentar do PSOL disse que estava “constrangido de participar dessa farsa sexista, dessa eleição indireta, conduzida por um ladrão, urgida por um traidor, conspirador, apoiada por torturadores, covardes, analfabetos políticos e vendidos”.

Para os advogados de Cunha, a imunidade parlamentar não pode ser “confundida com a outorga de uma autorização para que o seu detentor realize ataques pessoais infundados e covardes contra seus desafetos”.

“Embora vários parlamentares tenham manifestado inconformismo ou irresignação com a condução da votação do impeachment da então presidente da República, inclusive dirigindo críticas ao ofendido, este somente cuidou de propor ação penal contra quem tenha o feito de maneira verdadeiramente ofensiva”, afirma a ação.

Fonte: bahia.ba

Maurílio Fontes

Proprietário, jornalista, diretor e responsável pelo Portal Alagoinhas Hoje