Corte de verbas nas federais mobiliza reitor e associação

joao-salles

O anúncio feito pelo Ministério da Educação (MEC) sobre o corte no orçamento de 2017 das 63 universidades federais tem gerado reações nas instituições baianas.

Nesta segunda-feira, 15, o reitor da Universidade Federal da Bahia (Ufba), João Carlos Salles, publicou uma nota, na conta pessoal do Facebook,  explicando os impactos negativos da redução de verbas na instituição de ensino.

Nesta terça, 16, docentes e estudantes da Ufba estão mobilizados para aderir à paralisação nacional organizada pelas centrais sindicais. No comunicado, o reitor demonstra preocupação com os rumos do ensino superior.

“Caso se concretize essa redução orçamentária, a rede de ensino superior público federal pode enfrentar uma crise profunda, capaz de ameaçar-lhe a estabilidade administrativa e a qualidade acadêmica”, disse.

Além disso, o gestor convoca autoridades políticas a reverterem a crise financeira da universidade. “A reitoria da Ufba vem, assim,  apelar aos parlamentares que vão examinar e decidir sobre essa matéria”, pede Carlos Salles na postagem.

“Apelamos em especial aos parlamentares da bancada baiana, que tão bem conhecem a Ufba e as demais instituições federais de ensino do nosso estado, de modo que, sensíveis à importância estratégica das universidades públicas, não permitam o comprometimento de conquistas da sociedade brasileira, nem que sejamos compelidos a soluções que atinjam os próprios fundamentos de nossa estrutura acadêmica e o cumprimento de nossa missão”, disse ele, ainda.

Mobilização

A Central Única dos Trabalhadores (CUT) realiza, na manhã desta terça, uma mobilização nacional contra a agenda regressiva do trabalho na porta da Federação das Indústrias do Estado da Bahia (Fieb), no Stiep.

Segundo Cláudia Miranda, presidente do Sindicato dos Professores Universitários da Bahia (Apub), o momento reivindica, também, outras pautas do ensino superior, como o corte de verbas e o Projeto de Lei do Senado (PLS) 193/16, de autoria do senador Magno Malta, que inclui entre diretrizes e bases da educação o programa Escola sem Partido.

“O anúncio feito pelo MEC, na  semana passada, afeta diretamente o tripé da universidade: ensino, pesquisa e extensão”, disse a docente.

A ex-diretora de Mulheres do Diretório Central do Estudantes (DCE) da Ufba, Maria Joana Uzêda, afirmou que há um mobilização estudantil na instituição desde 2015, com as jornadas de luta. “Estamos mobilizados, principalmente, depois do golpe, pois as deliberações do governo interino têm sido cada vez mais ofensivas contra a educação superior no país”, critica.

“Este corte nos deixa mais preocupados, porque configura um projeto, e o governo interino não trata a educação como prioridade”, opinou a estudante.

Nota de dirigente da UFRB aponta “retrocessos”

O reitor  da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB),  Sílvio Soglia, assinou uma nota nesta segunda-feira, 15, publicada no site da instituição, com o título Em Defesa da UFRB e da Universidade Pública.

O documento manifesta preocupação com o atual cenário político e o tratamento dado pelo governo federal interino às instituições de ensino superior, principalmente as  recentemente criadas.

“Essa conjuntura indica, fortemente, que direitos que resultaram de intensa e histórica mobilização da sociedade estão em vias de serem perdidos, provocando, ao invés dos avanços que esperávamos conquistar, retrocessos em diferentes campos”, diz a nota.

David Romão representante docente no Conselho Universitário (Consuni) afirmou que o corte representa um ataque político à expansão do ensino superior.

Impactos

A  nota destaca impactos negativos do corte: “Para o ano de 2017, o orçamento da UFRB traz uma redução de 19,5% do custeio, 49,7% do investimento, resultando em 29,3% em seu total. Estas reduções orçamentárias impactarão as ações de assistência estudantil, em função da redução do valor relativo ao  Plano Nacional de Assistência Estudantil”.

Fonte: A Tarde

Maurílio Fontes

Proprietário, jornalista, diretor e responsável pelo Portal Alagoinhas Hoje