Consumidor brasileiro é o mais otimista entre 9 emergentes

O otimismo do brasileiro continua alto: 58% esperam uma melhora na sua situação financeira nos próximos 6 meses. É menos do que os 63% do ano anterior, mas ainda é a melhor taxa da pesquisa anual divulgada esta semana pelo Credit Suisse sobre o comportamento dos consumidores em 9 países emergentes.

De acordo com o texto do relatório, 4 anos de pesquisas mostram que 2013 viu um aumento do “ceticismo e desconforto” entre os emergentes.

Ele também conclui que consistentemente, os russos se mostram pessimistas e os brasileiros se mostram otimistas.

Isso se explica pelo desemprego baixo e pelo crescimento da renda, mas o bom humor começa a dar sinais de enfraquecimento: caiu o número dos brasileiros que consideram agora um bom momento para fazer uma compra de peso e disparou (de 10% para 40%) a taxa dos que esperam mais inflação.

A expectativa de gasto não-essencial continua alta, mas parou de crescer. Os brasileiros estão agora mais focados no consumo de itens cotidianos, como roupas, do que de coisas maiores, como casa e carro.

O IBGE divulgou ontem que o varejo brasileiro cresceu 4,3% em 2013 – o menor número em 10 anos. A alta nas vendas de automóveis também foi a menor desde 2003.

Pobres e ricos

O relatório também mostra diferença significativa nas expectativas nos diferentes níveis de renda. 50% dos brasileiros mais pobres, por exemplo, esperam melhora financeira no curto prazo, contra 70% dos mais ricos.

Fonte: Exame

Maurílio Fontes

Proprietário, jornalista, diretor e responsável pelo Portal Alagoinhas Hoje