BATE PRONTO 121

Faltando menos de 40 dias para o médico Joaquim Neto assumir o comando da Prefeitura de Alagoinhas, as pressões de aliados e de ex-adversários são intensas em busca de espaço no governo. As movimentações dos correligionários, dentro de certa lógica da política, podem ser caracterizadas como compreensíveis. Mas os desejos de adversários de permanecer fogem dos padrões dos bons costumes.

 picole-derretendo-1

Picolé I

Sônia de Picolé naturalmente vai negar, algo que sempre ocorre quando o AH retira das sombras desejos quase inconfessáveis. Ela tem esperanças de ficar no Programa AABB Comunidade, coordenado pela Secretaria Municipal de Educação (SEDUC). Sônia de Picolé foi uma das maiores defensoras da candidatura de sua xará Sônia Fontes. Agora, quer passar quatro anos sob o abrigo joaquinista.

Picolé II

Como Joaquim Neto assumirá o mandato em pleno verão de 2016, segundo uma fonte, a tendência é o picolé derreter. Não o dele, mas o de Sônia, que balizou sua campanha eleitoral à Câmara de Vereadores nas vantagens de Alagoinhas votar em duas “sônias”. Dupla derrota, que Sônia, de Picolé, quer transformar em vitória ficando no governo. Para os futuros governistas, muitos de olho nos “novos aliados”, este picolé vem com sal ao invés de açúcar. Politicamente, “a” picolé não está valendo nem um “geladinho” e nem uma “abafabanca” .  

Finanças I

Outros “sonistas”, querendo evitar o derretimento de suas finanças, também trabalham descaradamente para ficar no governo, traindo a confiança do prefeito Paulo Cezar. Não existem em Alagoinhas empresas que paguem salários no patamar da prefeitura. Está aí a razão do desespero.

Finanças II

Um dos descarados, volumoso por natureza, quer que suas posições políticas sejam esquecidas e ele passe a ser tratado como técnico. Ele se acha um grande técnico e quer que esta visão prevaleça. Coitadinho!

Finanças III

Outro “sonista”, bem magro, apagou de sua página do Facebook os elogios à ex-candidata Sônia Fontes e as críticas contundentes dirigidas ao prefeito eleito. Quem “passear” pela página do cidadão, desavisadamente, constatará que ele nem participou da eleição deste ano. Não quer perder R$7.500,00 por mês.

Verba I

Quem manda na verba publicitária da Câmara de Vereadores de Alagoinhas? Aparentemente, não é o gestor do legislativo, o experiente Roberto Torres. Desde o mês de outubro, Torres determinou que a agência detentora da conta do parlamento municipal veiculasse anúncio no Alagoinhas Hoje e não foi obedecido. Mas o valor foi pago pela tesouraria. A agência devolveu o valor pago e não utilizado? Em novembro a mesma determinação foi apresentada e até hoje nenhum anúncio foi enviado.

Verba II

O Alagoinhas Hoje não aceita pagamento por anúncios não veiculados. Em quase quatro anos da atual legislatura, nos mandatos de Jorge Mendes e Roberto Torres na presidência da Câmara de Vereadores, o Alagoinhas Hoje não recebeu um centavo dos cofres do legislativo. Se não receber, não fará falta.

Verba III

Há uma completa inversão de valores na relação entre o contratante, no caso a Câmara de Vereadores de Alagoinhas, e a agência, que tem a conta do legislativo. A agência faz o que quer e o gestor parece não ter condições de tomar as providências devidas. Seria interessante que os prestadores de serviço da área de comunicação tornassem públicos os fatos acontecidos em janeiro e fevereiro.

Diga ao povo que fico

Tem gente querendo manter Roberto Costa, atual secretário de Cultura, Esporte e Lazer na Prefeitura de Alagoinhas. É quase inacreditável, mas é verdade. Os padrinhos se movimentam e pedem que a opção política do secretário seja esquecida. Haja cara de pau.

Calu

A Secretaria Municipal de Assistência Social está agilizando a lista dos futuros moradores do conjunto do programa Minha Casa, Minha Vida que está sendo construído na Calu. São 500 unidades erguidas em local aprazível e com alto valor agregado (a cidade crescerá naquela direção). Muita gente, com grande expectativa de obter uma casa, vai ficar decepcionada.

Jenser I

Em relação à votação das contas do prefeito Paulo Cezar, o vereador Jenser Souza fez contato e explicou suas ausências: por questões familiares, ele esteve fora do estado e não compareceu às sessões da Câmara de Vereadores. Ele quis mandar as passagens de avião, mas o site achou desnecessárias e acatou o argumento do vereador.

Jenser II

O vereador admitiu que o prefeito Paulo Cezar ligou para ele e pediu seu voto pela aprovação das contas do exercício de 2015. Jenser afirmou que votará favoravelmente, de forma aberta, acompanhando o parecer do Tribunal de Contas dos Munícipios (TCM), que aprovou as contas de PC. Como o prefeito anda muito emotivo, a exemplo de um ministro temista, Jenser revelou que o alcaide chorou no decorrer da conversa.

Secretária

Feira de Santana, ao que tudo indica, vai “ofertar” a futura secretária municipal de Saúde. A profissional especulada ocupou a mesma pasta na terceira administração do prefeito José Ronaldo (DEM).

Celular

O futuro prefeito Joaquim Neto não é muito amante de aparelhos celulares. Enquanto a Apple já lançou o Iphone 7, ele usa a versão 4, considerada bem “pebinha”. E mais ainda: o aparelho fica a maior parte do tempo desligado. Falar com ele é tão difícil como os sete trabalhos de Hércules. Joaquim terá que se modernizar, porque o domínio de certas nuances da tecnologia será importante no decorrer do mandato.

Maurílio Fontes

Proprietário, jornalista, diretor e responsável pelo Portal Alagoinhas Hoje