Aparelho de raio-X da Policlínica do Parque Floresta não funciona há três anos

O aparelho de raio-X da Policlínica do Parque Floresta, unidade vinculada à Secretaria Municipal de Saúde, não funciona há três anos e pacientes com suspeita de tuberculose não podem fazer exames para comprovar ou descartar a existência da doença.

A tuberculose é uma doença que exige vigilância permanente do Sistema Único de Saúde, que repassa recursos para programas de investigação e combate nos municípios brasileiros.

A Prefeitura de Alagoinhas está pagando um ônibus que leva pacientes para Salvador e quem pode se deslocar acaba realizando os exames em municípios vizinhos.

Qual a alegação que justifica 36 meses de espera para consertar um aparelho tão importante para o diagnóstico da tuberculose?

Segundo uma fonte do Alagoinhas Hoje as autorizações para realização de exames na rede privada são direcionadas para vereadores da base aliada, que controlam a distribuição para seus eleitores, deixando os pacientes que não possuem padrinhos à mercê da sorte e da boa vontade de alguém que tenha contatos em outros municípios.

As cirurgias eletivas – hérnia, próstata, vesícula, apêndice, mioma, dentre outras – não estão sendo feitas porque a Prefeitura de Alagoinhas não mantêm convênios com clínicas privadas que poderiam atender os pacientes no município, sem necessidade de deslocamento.

Com a palavra a Secretaria Municipal de Saúde.

 

 

 

 

 

necessitam de cirurgias eletivas – vesículas, hérnia, próstata, mioma- não podempessoas com miomas

Maurílio Fontes

Proprietário, jornalista, diretor e responsável pelo Portal Alagoinhas Hoje