Anvisa suspende os produtos com soja da marca AdeS

A Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) determinou nesta segunda-feira (18) a suspensão da fabricação, distribuição, comercialização e consumo, em todo o país, de todos os lotes de 32 produtos com soja da marca AdeS. A medida foi publicada hoje no “Diário Oficial da União”.

As embalagens são de 1 litro e 1,5 litro. A suspensão vale apenas para os produtos feitos na linha de produção TBA3G, em Pouso Alegre (384 km de Belo Horizonte).
A sede da empresa foi vistoriada na semana passada pela Vigilância Sanitária do Estado de Minas Gerais. Nesta segunda, será feita uma nova inspeção sanitária na fábrica da empresa.

A decisão foi tomada, segundo a Anvisa, por “precaução” após uma falha no processo de higienização que fez, na semana passada, a Unilever Brasil, responsável pelo produto, recolher lotes do produto AdeS maçã 1,5 litro. Segundo nota divulgada na quarta-feira (13), a falha causou alteração no produto devido ao envase de embalagens com solução de limpeza da máquina, que pode provocar queimadura.

Em nota, a Anvisa diz que a medida foi tomada “por precaução. “A Anvisa decidiu suspender todos os lotes de todos os sabores, produzidos na linha de produção em que foi identificada a falha, até que a agência tenha mais informações sobre a verdadeira extensão do problema”, diz a agência reguladora em nota.

Segundo a Anvisa, em publicação no “Diário Oficial da União”, a suspensão ocorre porque há a suspeita de que os produtos não atendem “às exigências legais e regulamentares” do órgão. A agência recomenda, ainda, que o consumidor procure os serviços de saúde se consumir o produto e apresentar queimaduras ou outros sintomas. E que procure a fabricante dos produtos, a Unilever, para trocas e reembolsos.

A suspensão abrange os lotes dos produtos com os sabores de abacaxi, vitamina banana, cereais com mel, zero frapê de coco, chá verde com tangerina, zero laranja, chá verde com limão, zero maçã, chocolate clássico, zero original, chocolate com coco, zero pêssego, frapê de coco, zero vitamina banana, laranja, zero uva, maçã, laranja, manga, maracujá, melão, morango, uva, original, pêssego, shake morango. Alguns sabores tiveram suspensão em mais de um tipo de embalagem. A resolução da Anvisa especifica as embalagens de cada produto suspenso.

EMPRESA

Procurada pela Folha, a Unilever disse que o problema na qualidade de produtos atingiu apenas as 96 unidades de AdeS sabor maçã, 1,5 litros, lote AGB25, produzidas na linha TBA3G na fábrica de Pouso Alegre.

A empresa diz ainda que desde o dia 13, quando o problema foi descoberto, nenhum produto fabricado na linha TBA3G foi distribuído ao mercado e que a linha de produção não está funcionando. A Unilever diz ter identificado a causa do problema e que implementou as medidas corretivas necessárias.

A Unilever diz ainda que já iniciou o cumprimento das determinações da Anvisa retirando do mercado as produzidas na linha TBA3G e que está “colaborando com a Anvisa com o fornecimento de todas as informações necessárias para a revogação da interdição cautelar que possibilitará o retorno da fabricação na linha TBA3G, bem como a liberação para a distribuição, comercialização e consumo dos lotes de ADES com iniciais AG (exceto AGB25)”.

A empresa ressalta ainda que todos os demais produtos Ades não correspondentes aos lotes com iniciais AG permanecerão no mercado, “encontrando-se em perfeitas condições para consumo”. Segundo a empresa, há outras dez linhas de produção na fábrica e, por isso, os consumidores devem ficar atentos ao lote inscrito na parte superior da embalagem.

Os consumidores que tiverem produtos do lote com problema não devem consumi-lo e devem entrar em contato com o SAC (0800/707/0044), das 8h às 20h, ou sac@ades.com.br. A Unilever diz que o SAC está com as ligações congestionadas e pede que os consumidores enviem as dúvidas por e-mail. Todos os e-mails serão respondidos, diz a empresa. Os produtos do lote com problema foram distribuídos nos Estados de São Paulo, Rio de Janeiro e Paraná.

Fonte: Folha de São Paulo

Maurílio Fontes

Proprietário, jornalista, diretor e responsável pelo Portal Alagoinhas Hoje