Amigo ensina receita de cookie e brasileiro fica milionário

“Até conversamos com o presidente da associação de franquias americanas, mas estamos tentando primeiro nos estabelecermos aqui, então ficará para um outro momento. Lá é um mercado que realmente tem muita concorrência, mas não tem a barreira da cultura. O cookie, lá fora, é como o pão de queijo no Brasil. Qualquer reunião de família, de escola, negócios e de faculdade tem”, comenta.

Para se solidificar por aqui e não correr o risco de ser uma moda momentânea, como foram as temakerias e iogurterias, Lindolfo aposta na qualidade dos produtos. “O nosso conceito é ter os produtos originais norte-americanos. Então, a gente faz aquele produto caseiro que era o da vovózinha lá dos EUA. É isso o que procuramos trazer para os brasileiros, aquilo que a gente só vai encontrar lá”, diz.

Com tanto sucesso, é impossível não se perguntar se Jay Cheney não se arrepende de ter desistido do negócio. Segundo Lindolfo, no entanto, o norte-americano está feliz com o sucesso do amigo.

“Ele é uma pessoa muito tranquila, que prefere ver o nosso sucesso, dar o apoio e sentir realização através disso em vez de realmente montar um outro negócio. Ele está bem satisfeito e torce por nós. Agora, ele fala que a gente tem de pagar uma passagem para ele vir aqui no Brasil ver as inaugurações”, brinca.

Fonte: IG

 

Maurílio Fontes

Proprietário, jornalista, diretor e responsável pelo Portal Alagoinhas Hoje