Alta do tomate impulsiona contrabando do fruto na Tríplice Fronteira

O alto preço do tomate no Brasil (que subiu 122% no último ano, de acordo com o IBGE) tem impulsionado o contrabando em pequena escala do fruto, na fronteira do país com a Argentina e o Paraguai.

O produto chega a custar até 70% menos nos países vizinhos, devido ao câmbio favorável e à escassez do tomate no Brasil.

Fiscais do Ministério da Agricultura em Foz do Iguaçu (oeste do Paraná) já apreenderam 500 kg do alimento nas últimas duas semanas -um recorde.

“É uma coisa inédita”, diz o chefe do ministério na cidade, Antonio Garcez. “O Brasil é produtor. Normalmente, a gente exportava para a Argentina, o ano todo. Agora inverteu.”

O quilo do tomate pago pelos contrabandistas varia entre R$ 2 e R$ 5. Em Foz do Iguaçu, o produto custa até R$ 9 nos supermercados.

“Aqui no Brasil não tem tomate, o produto encareceu, e ainda tem o câmbio, que favorece”, diz Garcez.

O tomate entra no país em carros e vans, em pequena quantidade, que atravessam as pontes Tancredo Neves (fronteira com a Argentina) e da Amizade (fronteira com Paraguai). Ele, então, é revendido em restaurantes e mercados de Foz do Iguaçu.

A entrada do produto no Brasil desta forma, porém, é ilegal, porque não passa pelo controle fitossanitário do Ministério da Agricultura. Todo o tomate apreendido nessas condições é incinerado.

A maior apreensão feita até o momento foi de cinco caixas (ou 100 kg), na madrugada desta quarta (10), na Ponte da Amizade.

Fonte: Folha de São Paulo

Maurílio Fontes

Proprietário, jornalista, diretor e responsável pelo Portal Alagoinhas Hoje