Alagoinhas: Secretário de Saúde afirma que recebeu a “missão de desmontar alguns esquemas”

O secretário municipal de Saúde, Rodrigo Matos, rebateu nota publicada ontem (9) em A Tarde, na coluna Tempo Presente, intitulada “Abacaxi Doméstico”, que registrou a ocupação de cargos comissionados na pasta por profissionais feirenses.

Na nota de hoje (10), o secretário diz que é funcionário da Prefeitura de Feira de Santana e admite que sua indicação partiu do prefeito José Ronaldo.

Informação sem muita relevância, que prova apenas o calibre de seu padrinho político.

A segunda parte das alegações é grave.

Nela, Rodrigo Matos garante que recebeu a missão de desmontar “alguns esquemas” e procurou acercar-se de gente de sua inteira confiança.

A afirmação coloca sob suspeição três ex-secretários de Saúde de Alagoinhas: José Edésio, correligionário do prefeito Joaquim Neto, um de seus mais importantes apoiadores na campanha eleitoral do ano passado e atual secretário de Governo da prefeitura, Reginaldo Paiva, que deixou a Secretaria de Saúde para assumir a pasta da Fazenda no último ano da administração cezista, e Ivone Neta,  gestora da secretaria no decorrer de 2016.

Os secretários anteriores também podem estar no rol de suspeições.

A sociedade alagoinhense tem o direito de saber quais eram (ou são) os esquemas que precisam ser combatidos pelo atual secretário.

O site questiona:

1) Os profissionais de Feira de Santana são mais honestos do que os especialistas em saúde pública alagoinhenses?

2) Quem comandava os esquemas?

3) Quais valores foram desviados?

4) Existe alguma auditoria em curso para detectar os desvios?

5) Se o secretário, com uma frase bem sonista, afirma ter raízes em Alagoinhas, por que ele não indicou ninguém da cidade?

Calado, o secretário pode ser um anjo. Ao falar, ele se torna um desastre.

 

Maurílio Fontes

Proprietário, jornalista, diretor e responsável pelo Portal Alagoinhas Hoje