Alagoinhas: secretarias municipais mantêm parceria para realização de campanha

Com o objetivo de identificar casos suspeitos de hanseníase, através do método do espelho, referenciar os casos identificados para a rede básica de saúde e o tratamento, a Secretaria Municipal de Saúde (SESAU), em parceria com a Secretaria da Educação (SEDUC), mantém a campanha Nacional de Hanseníase, Geo-helmintíases e Tracoma 2014.  Nesta terça-feira, 22, no turno matutino, acontece na Escola Irene Andrade a aplicação da medicação para combate à Gel–Helmintíase (verminoses). 

Estão sendo realizadas nas escolas da rede municipal  buscas ativas de casos suspeitos de hanseníase e a administração de medicação para tratamento da verminose nos estudantes. As buscas acontecem através da aplicação de um formulário chamado de “ficha de auto-imagem”, que foi entregue pelos técnicos das secretarias aos pais dos estudantes. Nesse formulário os responsáveis vão sinalizar qual parte da criança tem a mancha suspeita da doença para posteriormente avaliação e tratamento.

Os estudantes que forem diagnosticados com os sintomas serão tratados preventivamente com Albendazol 400 mg, dose única, exceto para aqueles que os pais não autorizarem a administração da medicação.

A geo-helmintíase (verminose) é causada pelos geo-helmintos, parasitas intestinais que causam anemia, dor abdominal, diarreia e no geral, interferem e afetam o desenvolvimento físico e intelectual das crianças. Já a Hanseníase é contagiosa e causada pelo bacilo mycobacterium leprae, que se apresenta como manchas brancas ou avermelhadas, e leva a perda da sensibilidade do local afetado.
A ação também tem como proposta reduzir a carga parasitária de verminoses em estudantes de 5 a 15 anos. As ações seguem até o mês de setembro.

Fonte: Secretaria Municipal de Comunicação

Maurílio Fontes

Proprietário, jornalista, diretor e responsável pelo Portal Alagoinhas Hoje