Aécio evita pergunta sobre apoio no 2º turno

Em terceiro lugar na corrida presidencial, com 15% dos votos segundo o Datafolha contra 34% das duas primeiras colocadas, Aécio Neves (PSDB) ignorou, ao final do debate do SBT, perguntas sobre o possível apoio a Marina Silva (PSB) num eventual segundo turno.

O candidato sorriu ao ser perguntado pela primeira vez, sinalizando que compreendeu a questão, mas não quis respondê-la. Aécio preferiu se restringir ao discurso de campanha. “Nos não temos um projeto improvisado, nós temos um projeto para o Brasil voltar a crescer, gerando emprego de melhor qualidade, melhorando a qualidade da saúde pública, da segurança, da educação”, disse Aécio.

“É possível fazer o Estado mais eficiente, o que não acontece hoje. Eu mostrei isso em Minas Gerais e quero fazer isso no Brasil”. Mais cedo, o tucano Alberto Goldman, vice-governador de São Paulo, sinalizou que daria o apoio à candidatura de Marina num eventual segundo turno.

Ao iG, o presidente do PSB, Roberto Amaral, afirmou que aceitaria o apoio do PSDB, embora preferisse ficar apenas com os “eleitores tucanos”.

Aécio e Marina guardam proximidades na política econômica. Ambos candidatos são os defensores mais incisivos do regime de metas rígidas de inflação, câmbio flutuante e rigor fiscal. O PT tem uma postura mais flexível em relação a esses pontos, conhecidos como tripé econômico.

Fonte: iG

Maurílio Fontes

Proprietário, jornalista, diretor e responsável pelo Portal Alagoinhas Hoje