Advogado contesta opinião do Alagoinhas Hoje sobre candidatura de Jorge Mendes à Assembleia Legislativa – Alex Santana Santos

Em nota divulgada no dia de ontem este sítio de notícias publicara texto opiniativo no qual se afirma que o vereador Jorge Mendes “não teria estatura” para ocupar uma cadeira na Assembleia Legislativa o que denota, no mínimo, profundo desrespeito por um político que, sem o meu voto e provavelmente sem o seu, conseguira se manter no Legislativo Municipal já no quinto mandato concedido a ele pelas urnas, sejam elas do Riacho da Guia ou de outras paragens municipais.

Primeiramente, é injusto com o Distrito do Riacho da Guia o tratamento que lhe foi dado vez que por lá habitaram figuras importantes da política e da história de Alagoinhas e região, como o conhecido Coronel Santinho, cuja casa em que habitara e na qual acolhera figuras importantes da política estadual e mesmo nacional, se encontra em absoluto estado de deterioração sem dar às gerações atuais e principalmente às futuras a oportunidade de conhecer a história de seu povo e a luta de nossa gente.

Ademais, o Distrito de Riacho tem população, produção e renda muito superiores à imensa maioria de nossos 417 municípios baianos de onde saem a maioria dos parlamentares que atualmente ocupam uma cadeira no Legislativo Estadual.

Jorge Mendes é, de fato, simples, ligado a seu povo e empenhado na solução de suas necessidades mais urgentes, mas há muito deixara de ser o “Jorge do Riacho”, em virtude de ter uma atuação e colher votos nos mais variados recônditos territoriais de nosso município, haja vista o mapa eleitoral do pleito de 2012, do qual saíra eleito com significativa votação na sede, bem como o resultado de sua eleição por aclamação para presidir o Legislativo Municipal no biênio 2013/2014.

A nota, no meu entender, se mostra ainda injusta quando atribui ao “assistencialismo” os seus votos e quando diminui a sua importância no cenário político municipal presente e no cenário projetado para as próximas eleições onde de fato tem papel de destaque no grupo atualmente ocupante do paço municipal e que está longe de se manter unido e uníssono em torno da pré-candidatura da “Mulher de Paulo Cezar”, esta sim que conta somente com os cofres municipais e com a caneta do marido, como elemento aglutinador, mas que não possui qualquer ligação significativa com o povo e a história política de Alagoinhas e, menos ainda com o grupo político que se juntara em torno do nome e do carisma do atual prefeito, pessoa do povo igualmente simples e que se elegera vereador, deputado e hoje chefia o executivo pelo segundo mandato consecutivo, concorrendo inclusive com discursos e verve imensamente “técnica” e “capacitada”.

Portanto, compreendo que a pré-candidatura de Jorge Mendes, à Assembleia Legislativa é um passo natural em uma carreira política que já beira duas décadas e com desdobramentos diretos na sucessão municipal de 2016.

Se é viável ou não, somente o tempo e as urnas dirão… Não cabe a nós o abate preventivo de sonhos e projetos políticos que, neste caso, se mostram muito além da vontade meramente pessoal, mas antes de tudo refletem as expectativas, esperanças e projetos de um grupo que caminha para o fim do mandato de Paulo Cezar e não tem um nome de peso, até o momento, em torno do qual possam se aglomerar, bem como possibilita a superação da polaridade Paulo Cezar x Joseildo Ramos que se encontra datada e propícia ao surgimento do novo, considerando por fim que o “Novo” se constrói a partir do existente, pois não tem origem em si mesmo.

Quem viver, verá!”

Alex Santana Santos é advogado

Maurílio Fontes

Proprietário, jornalista, diretor e responsável pelo Portal Alagoinhas Hoje