Uso de redes sociais cresce mais entre os maiores de 50 nos EUA

A norte-americana Christine Jensen tem duas filhas na casa de 30 anos que gostam de provocá-las sobre o tempo que gasta no Facebook.

“Elas não ficam conectadas tanto tempo quanto eu”, diz Jensen, 58, que entrou no Facebook há três anos para manter contato com sua grande família e com os amigos de quatro Estados americanos.

“Cresci na Pensilvânia, mas morei em Iowa, em Minnesota e na Carolina do Norte. Em todos esses lugares fiz bons amigos e relações profissionais. É maravilhoso estar em contato com eles.”
O tipo de experiência de Jensen ajuda a explicar um aumento notável no uso de mídias sociais por americanos mais velhos. Relatório do centro de estudos Pew divulgado na semana passada revelou que é nesse grupo que as redes crescem mais.

O percentual de internautas maiores de 65 que usam as redes triplicou desde 2009, de 13% para 43%. Na faixa de 50 a 64 anos, a taxa subiu de 24% para 60%. E há espaço para crescer mais, se forem levados em conta os 89% entre os que têm 18 a 29 anos.

“São pessoas que viveram felizes por 60 anos sem nenhuma dessas coisas”, diz Aaron Smith, pesquisador do Pew e coautor da pesquisa.

“Eles adotam uma mídia social quando um parente ou amigo mostra que ela pode melhorar sua vida ou resolver um problema.”

O Facebook é, de longe, a mídia social com maior presença entre os mais velhos. Fazem parte da rede 57% dos usuários de internet entre 50 e 64 anos e 35% dos que têm mais de 65.

As mídias sociais também podem ajudar a combater a solidão que acompanha os mas velhos, segundo os pesquisadores do Pew.

Fontes: REUTERS /Folha de São Paulo

Maurílio Fontes

Proprietário, jornalista, diretor e responsável pelo Portal Alagoinhas Hoje