SP e Rio estão entre as 20 cidades com maior número de 'muito ricos' no mundo

São Paulo e Rio de Janeiro estão entre as 20 cidades com maior número de “muito ricos” no mundo –pessoas com US$ 30 milhões ou mais em ativos líquidos–, segundo a pesquisa anual Wealth Report divulgada nesta quinta-feira (7) pela consultoria Knight Frank.

São Paulo ocupa a 17ª posição, com 1.880 pessoas nessas condições, e o Rio fica em 20º, com 1.740. Lideram o ranking Nova York (7.580), Londres (6.015) Tóquio (5.440), San Francisco (4.590) e Los Angeles (4.520).

Completam as vinte primeiras posições Hong Kong, Osaka, Paris, Chicago, Cidade do México, Washington, Houston, Pequim, Mumbai, Dalas, Nova Déli (16ª posição, com 1.945 muito ricos), Zurique e Toronto (1.765).

O número de pessoas com US$ 30 milhões ou mais em ativos líquidos aumentou 5% no ano passado em todo o mundo –8.700 pessoas entraram para a seleta lista. Até 2022, diz a consultoria, mais 95 mil pessoas podem superar essa barreira.

Até lá, São Paulo ocupará a 9ª posição (com 4.566 pessoas nessas condições) e o Rio, a 10ª (1.740). As cinco primeiras cidades serão as mesmas de hoje, mas haverá troca de posições em todas as outras. Atualmente fora do top 20, apenas Xangai entrará no seleto grupo (na 14ª colocação), no lugar de Zurique (que será a 21ª).

Ativos líquidos são bens, valores ou créditos que formam o patrimônio de uma pessoa e que podem ser convertidos em dinheiro de maneira fácil e eficiente sem perda de valor –como ações ou o próprio dinheiro, por exemplo. Um imóvel, por outro lado, é considerado um ativo fixo.

“Ainda há oportunidades em muitos mercados ao redor do mundo, especialmente para aqueles que podem olhar além das dificuldades em algumas economias desenvolvidas, tendo uma visão mais global”, disse no relatório Mykolas Rambus, presidente-executivo da Wealth-X, uma consultoria de inteligência em propriedades.

BILIONÁRIOS

A pesquisa também mostra que o número de bilionários brasileiros deve aumentar 157% nos próximos dez anos, de 53 em 2012 para 136 em 2022, fazendo com que o Brasil passe a ser o 6º país com o maior número de bilionários do mundo.

Atualmente, o país com mais pessoas nessa condição são os EUA, com 543 bilionários –número que deve dobrar, para 1.101, em dez anos–, seguido de China (154), Alemanha e Reino Unido (149 cada um) e Índia (122). Em 2022, as cinco primeiras posições permanecerão inalteradas.

O crescimento de 157% no número de bilionários esperado para o Brasil é o terceiro maior do mundo, atrás apenas da China (214%) e da Indonésia (190%).

Por região, a Ásia deve concentrar o maior aumento de bilionários na próxima década (119%), seguida por África (117%) e América Latina (108%).

Fonte: Folha de São Paulo

Maurílio Fontes

Proprietário, jornalista, diretor e responsável pelo Portal Alagoinhas Hoje