Simon e Waldir falam sobre ditadura com autoridade de quem viveu duas

WP E SIMON

Cada um deles tem pelo menos 70 anos dedicados à política, Pedro Simon, 85, e Waldir Pires, 88, e nem pensam em deixar a política. Waldir foi derrotado na disputa para o Senado em 1994, quando o presidente do TRE ouvia gritos de quem mais tarde renunciaria ao mandato para fugir da cassação por ter violado o painel de votações do Senado.

Ao lado de Simon, escolhido quatro vezes seguidas para representar o povo gaúcho na Câmara Alta, o hoje vereador de Salvador é mais uma prova do atraso imposto à Bahia, pela ditadura civil-policial que prolongou o arbítrio em nossa terra até 2006.

Os dois experimentados políticos se reencontraram na noite quinta-feira, 14, em evento promovido pela Associação Bahiana de Imprensa e pela Associação Comercial da Bahia, no Palácio Conde dos Arcos, sede da ACB, no bairro do Comércio.

O gaúcho se despediu do parlamento no ano passado e hoje circula pelo Brasil falando sobre o futuro do país e a democracia. Exerce uma espécie de mandato informal e vitalício, resultado da imagem construída em 70 anos de militância. Antes da palestra no suntuoso salão da primeira entidade empresarial do continente americano, os dois falaram ao Trabalhador da Notícia sobre o saudosismo de quem pede a volta da ditadura militar.

Fonte: Trabalhador da Notícia – Foto: TN

Maurílio Fontes

Proprietário, jornalista, diretor e responsável pelo Portal Alagoinhas Hoje