Secretaria de Meio Ambiente confirma interesse em revitalizar represa de Aramari

REPRESA ARAMARI

O sonho da revitalização da represa da cidade de Aramari está cada vez mais próximo de se tornar realidade. Na tarde de ontem (26), o deputado Joseildo Ramos (PT), na companhia do prefeito do município, José Carlos (PDT), visitou a Secretaria de Meio Ambiente do Estado (SEMA), para discutir os detalhes do pleito e reforçar a importância da presença do órgão na Audiência Pública, capitaneada pelo deputado, que irá discutir o tema no dia 20 de outubro, em Aramari.

Recepcionado pelo secretário Eugênio Spengler, Joseildo recebeu não apenas a confirmação do interesse da Secretaria em aderir à causa, como também novas informações sobre como será feito todo o processo. Segundo o secretário, o órgão firmará um convênio com o município para a restauração das sete nascentes, com cercamento e recuperação da mata ciliar. Se localizadas dentro de áreas rurais privadas de até 120 hectares, poderão ser ainda contempladas por uma restauração agroflorestal, ou seja, com plantio de árvores frutíferas nos arredores.

A represa, que mede cerca de meio hectare, fornecia energia hidroelétrica para as oficinas de reparação de rede férrea e servia como um balneário local. “Ela era o cartão postal da cidade. Pra gente que vive ali, é muito triste ver só o que restou dela, ver secar. Espero que com esse apoio do deputado e a orientação do secretário, a gente consiga mudar isso”, explicou o prefeito. “Existe um sentimento de pertencimento da população muito grande, e ela vai colaborar com esse processo também”, adicionou o deputado, que lembrou ainda que, em comunhão com a atuação da Secretaria, a revitalização da represa será também contemplada pela atuação da Funasa, com o sistema de esgotamento sanitário, e da Embasa.

Cadastro Ambiental Rural

O prefeito recebeu outra boa notícia do secretário. Atendendo a um pedido do deputado, Aramari será o primeiro município da região a receber um convênio para a realização do Cadastro Ambiental Rural, ferramenta criada pelo Novo Código Florestal. A função é regularizar as atividades de propriedades de até quatro módulos rurais (ou 120 hectares) através de um sistema de base de dados estadual. O sistema do cadastro emite um certificado de regularidade que protege o pequeno proprietário de multas, além de dar acesso ao crédito rural, financiamento bancário e seguro agrícola.

Fonte: Assessoria de Imprensa do deputado Joseildo Ramos – Foto: Kamila Matos

 

Maurílio Fontes

Proprietário, jornalista, diretor e responsável pelo Portal Alagoinhas Hoje