PSDB, PT e PMDB concentram metade da audiência nas redes sociais

A consultoria BITES, especializada em análise de dados digitais, fez um levantamento sobre a audiência nas redes sociais dos 171 candidatos que disputam a eleição para governador dos 26 estados e do Distrito Federal em outubro deste ano.

De acordo com a consultoria, PT e PSDB concentram 35% do Indicador de Audiência Social (IAS), taxa de alcance junto ao eleitorado com acesso à Internet.

O número é calculado pela soma de fãs e seguidores em quatro redes sociais (Twitter, Facebook, Instagram e Google Plus) e no canal de vídeo Youtube.

O levantamento, com dados compilados até 31 de julho, leva em consideração 6,4 milhões de fãs e de usuários que seguem os 171 candidatos, o equivalente a 10% do eleitorado brasileiro com acesso à internet – segundo dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Do total de candidatos, 76,6% tinham perfis nas quatro redes analisadas ou no Youtube: 70% com páginas no Facebook, 52% com perfis no Twitter, 33% com canais no Youtube, 28% com perfis no Google Plus e 20,4% com contas no Instagram.

Partido do senador Aécio Neves (MG), candidato a presidente, o PSDB leva uma pequena vantagem. Ocupa o primeiro lugar com 17,79% desse público. O PT, da presidente Dilma Rousseff e candidata à reeleição, vem em seguida com 17,26%.

O PMDB ocupa a terceira posição, com 14,8%. Os candidatos dos três partidos, num universo de 31 que lançaram nomes aos governos estaduais, concentram metade do Indicador de Audiência Social.

Os candidatos de partidos que apoiam Dilma alcançam, nas redes sociais, 4,3 milhões de eleitores, contra 1,2 milhão de Aécio e 722 mil do ex-governador de Pernambuco Eduardo Campos, candidato a presidente pelo PSB.

A pesquisa analisou ainda o comportamento dos candidatos a vice-presidente. A candidata a vice na chapa de Eduardo, Marina Silva, tem indicador de audiência 2,2 maior do que todos os candidatos a governador que apostam no socialista.

Vice de Dilma, Michel Temer (PMDB) tem 190 mil seguidores e fãs. Vice de Aécio, o senador Aloysio Nunes Ferreira (PSDB-SP) tem 37 mil fãs e seguidores.

Em 2014, os custos de campanha devem alcançar o recorde de R$ 73,9 bilhões. A BITES acredita que parte desses investimentos será destinada à internet. “Os candidatos já entenderam o poder do digital em suas campanhas”, diz o relatório.

Campeões de audiência

Do ponto de vista quantitativo, dois candidatos evangélicos lideram o ranking nacional. O deputado federal Anthony Garotinho (PR), candidato ao governo do Rio, tem 875.497 fãs e seguidores. Depois, vem Marcelo Crivela (PRB), outro que disputa o governo do Rio, com 666.587 fãs e seguidores nas cinco plataformas sociais.

Em terceiro está o atual governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), candidato à reeleição. Ele tinha 525.478 seguidores no final de julho.

Em termos qualitativos, os três candidatos que tem melhor Indicador de Audiência Social, ou seja, que conseguem atingir maior número de potenciais eleitores, são: Ângela Portela (PT-RR), com 64,8%, senador Eduardo Braga (PMDB-AM), com 25%, e Márcio Bittar (PSDB-AC), com 24,7%.

Média de candidatos

Em média, serão 6,3 candidatos por estado disputando as eleições neste ano. Maior colégio eleitoral do Brasil com 31,2 milhões de eleitores, São Paulo terá nove candidatos. Mesmo número tem Alagoas, que tem 1,8 milhão de eleitores e representa o 19º colégio eleitoral do Brasil.

Fonte: Blog do Noblat

 

Maurílio Fontes

Proprietário, jornalista, diretor e responsável pelo Portal Alagoinhas Hoje