“Prefeito de Aramari comete abusos contra servidores”, afirma advogado

Duas professoras concursadas da rede municipal de ensino de Aramari ingressaram com MANDADO DE SEGURANÇA depois de serem transferidas da escola onde ensinavam, na sede da cidade, para outra, na zona rural.

A transferência das professoras, de acordo com o advogado Fidel Dantas, ocorreu por retaliação e perseguição política do prefeito José Carlos Alves Nascimento (PDT), após as duas se colocarem na condição de testemunhas em processo judicial na Justiça Eleitoral, em que é julgada a cassação do mandato do prefeito, “que cometeu conduta vedada e abuso de poder econômico durante a campanha eleitoral, quando pagou gratificação aos professores do município no período em que a Lei Eleitoral proíbe”.

No sentimento de vingança, ira e retaliação, prossegue Fidel Dantas, o prefeito determinou ao secretário de Educação, Marcio Vila Flores, que transferisse as professoras para os locais mais distantes da sede. “Imediatamente, o subalterno obedeceu, descumprindo a legislação, sem processo administrativo, arbitrariamente, e colocando professores contratados no lugar das concursadas, removendo as professoras do colégio em que já trabalhavam há mais de quatro anos”, afirmou o advogado em texto enviado ao Alagoinhas Hoje, acrescentando “que com isso o prefeito prejudicou as atividades das professoras, no outro turno, porque uma é também professora da rede particular de Aramari e a outra é também professora da rede municipal de ensino de Entre Rios, inviabilizando a continuidade das duas atividades e provocando prejuízos à vida financeira das professoras e de suas famílias”.

O processo na Justiça Eleitoral, Ação de Impugnação de Mandato Eleitoral, corre em segredo de Justiça e tem audiência no dia 22/04/2013 e o Mandado de Segurança, que é emergência, aguarda decisão do Juiz.

 

Maurílio Fontes

Proprietário, jornalista, diretor e responsável pelo Portal Alagoinhas Hoje