‘Podemos fazer o diabo na hora da eleição’, diz Dilma

Em meio a um clima de campanha eleitoral antecipada, a presidente da República, Dilma Rousseff, disse nesta segunda-feira (4) que seu governo respeita os políticos de partidos adversários, apesar das paixões eleitorais.

“Nós podemos disputar eleição, nós podemos brigar na eleição, nós podemos fazer o diabo quando é a hora da eleição. Agora, quando a gente está no exercício do mandato, nós temos que nos respeitar, porque fomos eleitos pelo voto direto do povo brasileiro”, disse Dilma, durante cerimônia de entrega de um conjunto habitacional em João Pessoa, na Paraíba.

Em um discurso de 32 minutos, com direito a “tchauzinhos” para a plateia, a presidente citou seu antecessor no cargo, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, e afagou o PSB do governador de Pernambuco, Eduardo Campos, possível concorrente no ano que vem na corrida ao Palácio do Planalto.

Sempre chamando o governador paraibano, Ricardo Coutinho, de “parceiro”, Dilma usou o palanque para prometer atender a um pedido que ele, também do PSB, havia acabado de fazer ante as 576 famílias que receberão unidades do programa Minha Casa, Minha Vida no subúrbio de João Pessoa.

“Eu quero dizer para o governador que tem uma certa coincidência entre os desejos do governador e os desejos da presidenta da República. Eu quero dizer para vocês que eu aceito o pleito de complementar os recursos, em torno de R$ 70 milhões, para a conclusão do Centro de Convenções da cidade”, disse Dilma.

Ela ainda ficou de viabilizar outros dois “desejos” de Coutinho: as ampliações do aeroporto da cidade e do porto de Cabedelo (PB).

Após dizer que as moradias que estava inaugurando eram “diferentes, com qualidade e acabamento” em relação às que se construíam antes no Brasil, Dilma disse que as realizações de seu governo não são favores, mas “obrigação e dever do Estado brasileiro”.

Fonte: Folha de São Paulo

Maurílio Fontes

Proprietário, jornalista, diretor e responsável pelo Portal Alagoinhas Hoje