Petróleo desaba 30% na abertura de pregão; é o maior tombo desde a Guerra do Golfo

Foto: Agência Petrobras

O petróleo do tipo Brent abriu o pregão desta segunda (9, ainda domingo no Brasil) em queda de mais de 30%, derrubando o preço para perto de US$ 30 por barril. Segundo o jornal Folha de S. Paulo, é a maior desvalorização desde a Guerra do Golfo, em 1991, quando o preço chegou a cair 34,77%.

Após os primeiros negócios, o tombo diminuiu para cerca de 20%, levando a cotação do Brent para a faixa de US$ 36. Ao longo do pregão, caiu novamente aos 30%, mas voltou ao patamar dos 20%. Os contratos de Brent são negociados na Bolsa de Londres, que abriu às 23h do horário local (20h pelo horário de Brasília).

Esse é o menor valor do Brent desde 2016. O cenário, de acordo com a publicação, é decorrente do temor pela propagação do coronavírus mundo afora.

A forte queda do petróleo contaminava também o mercado de ações: as Bolsas asiáticas recuavam por volta de 4% nos primeiros negócios, queda equivalente dos contratos futuros dos índices americanos Dow Jones e S&P 500. A bolsa de Tóquio chegou a cair 6%, mas teve recuperação e fechou com perda de 5,07%.

De acordo com a Folha, o forte recuo reflete a decisão da petroleira da Arábia Saudita, a Saudi Aramco, de elevar sua produção e oferecer descontos a compradores justamente quando a discussão entre países produtores era pela redução da oferta.

A decisão configura uma guerra de preços em retaliação à Rússia, que na sexta-feira (6) se recusou a fechar um acordo com a Opep (Organização dos Países Exportadores de Petróleo) para reduzir a produção de petróleo.

 

Fonte: bahia.ba

Maurílio Fontes

Proprietário, jornalista, diretor e responsável pelo Portal Alagoinhas Hoje