No mês da mulher, Norma Angélica se torna a segunda chefe do MP baiano

Na tarde desta sexta-feira, 6, a promotora de Justiça Norma Angélica Reis Cardoso Cavalcanti se tornou a segunda mulher a assumir a chefia do Ministério Público do Estado da Bahia. Antes dela, somente a antecessora, a procuradora de Justiça Ediene Lousado, havia ocupado o posto.

O ato ocorreu próximo a uma data simbólica, o 8 de março, Dia Internacional da Mulher. Durante o ato de posse, em entrevista ao A Tarde, Norma falou da batalha da mulher na busca de direitos iguais nos espaços de poder e de trabalho. No caso do MP baiano, a nova procuradora-geral de Justiça afirma que o cenário não demonstra tamanha desigualdade, como é visto em outros locais. “É uma luta. Como diz a frase, a mulher está onde ela quer. Todos nós, hoje, temos oportunidades, lutamos de igual para igual. Dentro da minha profissão, temos esta característica de que não há dificuldade, ao menos aqui no Ministério Público, entre homens e mulheres. Temos condições e, tanto homens, quanto mulheres, disputamos tudo”, contou.

Norma Angélica também manifestou preocupação com o aumento dos casos feminicídios. Para a chefe do MP, é preciso que seja realizado um trabalho de conscientização “para que homens deixem de matar mulher”.

“Estamos vivendo, hoje, uma ascensão desse tipo de crime. E não sabemos o motivo. Você não gostar ou não querer bem uma mulher, é um direito. Agora, você praticar crimes, maus tratos…. estamos vendo isso em uma crescente, que precisamos mapear, por exemplo, os bairros em que isso mais tem ocorrido. Mas pelo que tenho acompanhado nas audiências de custódia, isso tem ocorrido em todos os níveis de camadas sociais. Não só entre os mais pobres, mas também na alta sociedade”, relatou.

Norma Angélica integrou lista tríplice eleita no último dia 7 de fevereiro, composta também pelos promotores de Justiça Pedro Maia e Alexandre Cruz, e foi a escolhida pelo governador Rui Costa para o cargo máximo do MP.

Natural de Inhambupe, a nova procuradora-geral de Justiça tem 62 anos e ingressou no Ministério Público do Estado da Bahia em 1992. Foi promotora de Justiça em Ibitiara, Araci, Cícero Dantas e Alagoinhas, sendo promovida para Salvador em 1999. Coordenou o Centro de Apoio Operacional às Promotorias de Justiça Criminais (Caocrim). Foi presidente da Associação do Ministério Público da Bahia (Ampeb) e da Associação Nacional dos Membros do Ministério Público (Conamp).

 

Fonte: A Tarde

Maurílio Fontes

Proprietário, jornalista, diretor e responsável pelo Portal Alagoinhas Hoje