Neto nega convite a Doria, mas deixa portas do DEM abertas

O prefeito de Salvador, ACM Neto (DEM), negou, na manhã desta quinta-feira (10), ter feito convite para o prefeito de São Paulo, João Doria (PSDB), ingressar no Democratas, mas deixou as portas do partido abertas para o tucano pavimentar o seu sonho de chegar ao Palácio do Planalto.

“Não houve um convite. É muita especulação da imprensa. É claro que, na formação de um novo partido, é natural que haja especulações. [João Doria] pode eventualmente vir a fazer parte, mas não houve convite. Convite, convite, não. Ele está observando os movimentos. Pode haver conversa no futuro? Pode. Até pode, não vou descartar que pode”, afirmou, em entrevista exclusiva ao bahia.ba.

Neto não confirmou ainda que o não chamamento tenha sido uma forma de evitar mal-estar com o PSDB, cuja cúpula prefere o nome do governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, para a disputa presidencial. “Não é exatamente por isso. Na verdade, ainda estamos em uma fase de consolidação do partido que vai ser refundado. Então, acho que, se tiver claro o desenho, pronto, provavelmente as conversas de ampliação da base aconteçam de maneira mais clara. Se me perguntar, vai ter conversa com Doria? Não sei. Pode ser que sim, pode ser que não. As portas não estão fechadas”, avisou.

Sobre a refundação do Democratas, o prefeito afirmou que o diálogo avançou muito nas últimas semanas com os membros das legendas aliadas e dissidentes do PSB. “As conversas foram muitos produtivas e digo para você que, nas próximas duas semanas, deve estar entrando na fase final dessas acomodações para que, no início de setembro, a gente tenha uma posição mais definida”, pontuou, ao ressaltar que faltam apenas algumas “questões burocráticas e jurídicas” para bater o martelo.

Perguntado pelo portal sobre quem poderia ser o candidato ao Palácio de Ondina, em 2018, caso ele decline, ACM Neto se esquivou. “Nosso grupo tem muitos nomes. Poderíamos ter o plano B, C, e até o A. Quem disse que sou o A? Na verdade, temos muitos nomes em condições de disputar o governo. Não faço política com personalismo”, pontuou.

Depois de o governador Rui Costa (PT) ameaçar ir à Justiça contra a decisão da prefeitura de cobrar IPTU de equipamentos públicos, o democrata disse que ainda não definiu a questão. “Nem tratei desse assunto ainda. Agora, existe uma decisão do Supremo Tribunal Federal. Mas o martelo não foi batido. Ainda estamos analisando com a Secretaria da Fazenda. Não quero me antecipar, o governador às vezes se antecipa. Eu prefiro ser cauteloso”, disse.

 

Fonte: bahia.ba

Maurílio Fontes

Proprietário, jornalista, diretor e responsável pelo Portal Alagoinhas Hoje