Ministério da Saúde estuda equivalência de diploma médico entre Brasil e Portugal

O ministro da Saúde, Alexandre Padilha, anunciou ontem que os governos de Brasil e Portugal estudam implantar um sistema de reconhecimento mútuo de diplomas médicos. Padilha esteve nesta segunda-feira em Portugal, segundo ele, para traçar estratégias para atrair médicos estrangeiros para o país e enfrentar o déficit no Sistema Único de Saúde (SUS). Nesta manhã, o ministro defendeu o intercâmbio entre profissionais durante audiência pública na Câmara dos Deputados.

A equivalência de diplomas teria como base a análise da grade curricular das universidades e descartaria a exigência do Revalida – exame que autoriza médicos estrangeiros a atuarem no país. O mecanismo, de acordo com o Ministério da Saúde, já estava previsto entre os países por meio do chamado Tratado de Amizade, Cooperação e Consulta, em vigor desde 2000. No entanto, não havia um ajuste diretamente entre os respectivos ministérios da saúde, o que deve ser fechado ainda nesta semana.

O reconhecimento de diplomas, ainda segundo o Ministério da Saúde, é adotado por outros países com similaridade na língua, como o Canadá e os Estados Unidos, e também por países da União Europeia. “Queremos adotar um outro eixo que países como Inglaterra, Canadá e Austrália também fazem, que é ter formas de atração sem o processo de validação do diploma”, afirmou Padilha. “Teremos uma validação especial para atuar em áreas que os países precisam. Teremos uma forma de atrair com responsabilidade e com avaliação criteriosa”, afirmou. O ministro ressaltou que a preocupação principal do governo é enviar médicos para atuar na periferia do país.

Fonte: Veja

Maurílio Fontes

Proprietário, jornalista, diretor e responsável pelo Portal Alagoinhas Hoje