Lupatech ingressa com pedido de recuperação judicial e amplia crise na Bahia

LUPATECH PEDIDO

A crise no setor de petróleo e as consequências negativas para a Bahia parecem não ter fim. Mais de 1.200 trabalhadores, entre Janeiro e Maio, foram demitidos das empresas prestadores de serviço situadas na microrregião de Alagoinhas e Recôncavo do estado.

Ontem (26), a Lupatech ingressou na Comarca de São Paulo com pedido de recuperação judicial e marcou para o dia 11 de Junho assembleia de acionistas para ratificar a decisão.

Com isso, os impactos sobre os trabalhadores serão sentidos de maneira mais forte: os 92 demitidos, que aceitaram receber as rescisões trabalhistas em até dez vezes, poderão não ter os créditos depositados em suas contas nos próximos meses. Ficaram sem empregos e ficarão sem os valores das rescisões se o pedido de recuperação judicial for aceito pela Justiça paulista.

Em entrevista na manhã desta quarta-feira ao Programa Acorda Pra Vida, da Tudo FM, o ex-presidente da Petrobras, José Sérgio Gabrielli, afirmou que a crise na Bahia é ainda  mais grave por conta da idade de muitos poços do estado, que produzem há várias décadas. “Isso afeta Alagoinhas, Entre Rios, Catu e outros municípios”, disse.

A recuperação judicial envolve várias empresas do grupo: Lupatech Finance Limited, Amper Amazonas Perfurações, Itacau Agenciamentos Marítimos, Lochness Participações, Lupatech Equipamentos e Serviços para Petróleo, Lupatech Perfuração e Completação, Matep Máquinas e Equipamentos,  Mipel Indústria e Comércio de Válvulas, Prest Perfurações e Sotep – Sociedade Técnica de Perfuração.

A BM&F BOVESPA suspendeu os negócios  com ações da Lupatech.

 

Maurílio Fontes

Proprietário, jornalista, diretor e responsável pelo Portal Alagoinhas Hoje