Lojas dividem em até 15 vezes as compras no cartão para o Dia dos Namorados

shopping

Só mesmo o clima de romance pode ser capaz de amenizar a dor de cotovelo do varejo, após amargar queda de 8,6% nas vendas neste ano segundo dados divulgados ontem pela Sociedade Brasileira de Varejo e Consumo (SBVC). Na tentativa de acertar em cheio o bolso dos apaixonados logo à primeira vista, o setor está parcelando as compras no cartão de crédito em até 15 vezes.

O Correio deu um giro pela cidade e encontrou a condição não só para presentes convencionais como roupas, calçados ou perfumes. Flores, chocolates e até mesmo o pacote do motel também podem ser divididos em suaves prestações (veja opções abaixo).

Em algumas lojas vale parcelar tudo, inclusive, o que não se imaginava que poderia ser dividido. Na Cacau Show do Shopping Barra, por exemplo, dá para comprar chocolate em três vezes, a depender do valor.

Na Floricultura Ikebana, no Rio Vermelho, o parcelamento é uma opção para os românticos incuráveis que não abrem mão de presentear com flores.  “A partir de R$ 100, a gente está parcelando. Mas conversando, podemos parcelar até valores menores. O importante, no momento, é não perder venda”, diz a gerente da Ikebana, Meire Jane Moura.

Até os motéis estão dividindo os pacotes no cartão. O Kamasutra (Patamares) e o Hollywood (Pituaçu) participam do Jontex Love Week. A ação da Associação Brasileira de Motéis (ABMotéis) parcela em até três vezes a reserva antecipada dos pacotes para o Dia dos Namorados, que variam entre R$ 497 e R$ 697 no Hollywood, e de R$ 485 a R$ 1.039 no Kamasutra. A expectativa é aumentar em 20% as locações até o domingo. “O mercado moteleiro vem se reinventando com novas suítes e fachadas, cardápios e equipamentos, que se tornaram essenciais para que os estabelecimentos se diferenciem em um setor altamente competitivo”, justifica o presidente da associação, Eusébio Ribeirinha.

Também entram no clima, os pacotes de hotéis. Os pombinhos que quiserem esticar a noite ou fim de semana, têm o parcelamento garantido em até três vezes, no Sol Express, em Amaralina. “O jantar e o pernoite com direito a café da manhã, espumante e chocolate ficam por R$ 530 para o casal. É a possibilidade de usar a data comemorativa para sair da crise e alavancar as vendas”, afirma a diretora do hotel, Fernanda Lebram.

Expectativa

E o comércio tem razão em apostar na data. Segundo pesquisa realizada pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) e pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL), em todas as capitais do país, entre elas Salvador, 21% das pessoas vão parcelar o presente do Dia dos Namorados.

E o amor realmente não tem limites: o levantamento mostra ainda que 32,2% das pessoas entrevistadas admitem que costumam gastar além das próprias condições financeiras com presentes para o parceiro ou a parceira. Do total de pessoas que vão presentear no Dia dos Namorados, 31,4% reconhecem que estão com o nome negativado nos serviços de proteção ao crédito.

“Quando a gente pergunta para as pessoas por que elas estão comprando sem poder, não é apenas para agradar e ver o outro feliz, mas também para impressionar o parceiro ou a parceira e ficar bem na fita. É aí que é preciso ligar o alerta”, explica a economista-chefe do SPC Brasil, Marcela Kawauti.

Para ela, o outro risco mora no endividamento. “Tem que economizar bastante na hora de comprar para não acabar tendo mais problemas depois”, ressalta ela.

Mimos

A consultora de moda Jaqueline Santos não deixou de fazer as contas antes de comprar o presente do namorado. Ainda assim, ela não nega que na hora de escolher, deu preferência a um presente que iria agradá-lo ainda que tivesse que desembolsar um pouco mais.

“Comprei uma camisa que ele queria e fiz um kit com alguns mimos. Gastei uns R$ 300 e parcelei de duas vezes, por conta das despesas que ainda vou ter com o São João. Vale a data, o momento, o conjunto todo”, afirma.

Para acertar em cheio o coração da namorada, o técnico de segurança Caio Fernandes também tentou diluir o valor do presente em três vezes no cartão. “Acabei comprando dois vestidos e uma blusa. O cartão é uma forma de pagamento que facilita bastante, contanto que você pague a fatura em dia”.

O educador financeiro do SPC Brasil e do Portal meu Bolso Feliz, José Vignoli, lembra a importância do planejamento antes de comprar. “Ninguém precisa deixar de presentear, mas vale tomar cuidado com o excesso de parcelas para que isso não termine em uma ‘DR’ com o orçamento lá na frente. Com amor ou sem amor, a fatura do cartão sempre fica”, aconselha.

Ainda dá para aproveitar os descontos

Na véspera do Dia dos Namorados, o varejo espera que as vendas esquentem ainda mais a relação com o consumidor a partir das promoções de última hora. Vale tudo para fazer com que o comprador baixe a guarda e abra a carteira.

“A gente está confiante na véspera mesmo. Principalmente nas mulheres, porque elas compram sem pena quando querem agradar os namorados. Os homens seguram mais a onda, mas fazem uma gracinha também”, afirma a vendedora da loja Yellow Mônica Rosalinda. A loja, localizada no Shopping da Bahia, vende calças jeans com 50% de desconto.

A mesma animação tem o gerente da Loja South do Shopping Piedade, Igor Sá. “Estamos bem confiantes porque ninguém deixa de comprar presente para o namorado ou namorada, ainda que seja só uma lembrancinha”, garante. Na South é possível encontrar camisas masculinas a partir de R$ 29,99. “Também temos uma promoção para as peças masculinas: comprando três produtos, o quarto, de menor valor, sai de graça”.

A Lougerie do Shopping Barra é mais uma loja que colocou vários produtos de moda íntima em promoção. Um conjunto de calcinha mais sutiã fica por R$ 79,90. Há também kits de calcinhas: uma por R$ 29,90; três por R$ 79,90 e seis por R$ 149,90. Mas se a escolha for o conjunto com camisola, que custa R$ 129,90, no mesmo presente vão juntos ainda um chocolate e uma máscara.

Outra boa oportunidade para aqueles que estão em busca de um preço mais em conta para chamar de seu é a feira Expo de Moda que acontece até amanhã na Arena Fonte Nova. “Temos diversos produtos com preços de fábrica. Este é o nosso maior atrativo. Quem compraria uma blusa de R$ 200, vai chegar aqui e encontrar uma de R$ 30 sem ficar devendo nada para a que estava mais cara”, assegura a organizadora da feira, Vera Pontes.

Nos últimos dias, a chance de negociar um precinho junto aos expositores é ainda maior. “Temos produtos a partir de R$ 5, como um brinco por exemplo, até bolsas de couro de R$ 200. Tem preço para todos os bolsos e gostos”.

Fonte: Correio 24h

Maurílio Fontes

Proprietário, jornalista, diretor e responsável pelo Portal Alagoinhas Hoje