Governo planeja para 2014 novo leilão de frequências de telefonia celular

O governo pretende realizar no segundo semestre deste ano um novo leilão na área de telecomunicações. A ideia é oferecer “as sobras” de frequência da telefonia celular para implantação do serviço de voz e dados em cidades muito populosas.

As faixas de frequência disponibilizadas pelo governo funcionam como grandes avenidas, por onde é possível trafegar informações. Quanto mais faixas uma empresa possui em determinada localidade, mais clientes é possível atender –e com melhor qualidade.

Nas regiões mais populosas a disputa por capacidade é mais acirrada, já que o ganho potencial para os investidores também é maior.

Nas cidades com menor número de habitantes, esse tipo de leilão acaba servindo para solucionar problemas pontuais na cobertura de operadoras que precisam melhorar o sinal.

Folha apurou que a principal oferta do próximo leilão será justamente a de uma faixa na capital paulista. Ela permite a operação da telefonia móvel na frequência de 1.8 GHz, em faixa que antigamente servia para o uso da operadora Unicel –empresa ligada à ex-ministra da Casa Civil Erenice Guerra.

Segundo fontes do alto escalão na Anatel, os estudos para o leilão estão em fase adiantada e incluem ainda ofertas na ‘Banda H’, usada para internet 3G.

A agência pretende concluir estudos e edital do leilão de sobras ainda no primeiro semestre. Assim, o pregão pode ocorrer na segunda metade do ano.

4G

Folha também apurou que o Ministério das Comunicações ainda trata o assunto com cautela por medo de que um leilão no fim de 2014 possa diminuir o apetite das empresas pelo futuro leilão da faixa de 700 MHz. Grande aposta do governo, esse leilão está sendo discutido há mais de dois anos e está previsto para início de 2015.

A nova frequência, de 700 MHz, é a que irá permitir a ampliação do serviço de internet 4G (que é até dez vezes mais rápida que a 3G).

Até hoje, apenas um leilão foi feito pelo governo para essa tecnologia de internet. O pregão ocorreu em junho de 2012 e rendeu mais de R$ 2,9 bilhões ao governo.

O ministério quer, portanto, antecipar as possíveis reações do mercado antes de publicar o leilão de sobras, para manter a disposição dos investidores nas duas rodadas.

UNICEL

A faixa da Unicel que está na lista do leilão faz parte dos planos de venda da agência desde o ano passado.

A empresa foi impedida pela Anatel de operar em 2012, quando negociava a sua venda para a Nextel.

A transação livraria o empresário e dono da empresa, José Roberto Melo da Silva, de dívidas de R$ 600 milhões, incluindo R$ 270 milhões de encargos e contribuições devidos à própria agência.

José Roberto foi padrinho de casamento da ex-ministra Erenice Guerra.

O marido de Erenice, José Roberto Campos, chegou a viajar à China, em 2007, em nome da Unicel, para negociar aportes de recursos na empresa. A carta de apresentação dele foi feita pelo Itamaraty.

Fonte: Folha de São Paulo

Maurílio Fontes

Proprietário, jornalista, diretor e responsável pelo Portal Alagoinhas Hoje