Google critica impacto da decisão de Trump para imigração nos EUA

O executivo-chefe do Google, Sundar Pichai, criticou a decisão do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, sobre imigração, em e-mail enviado a funcionários no fim da sexta-feira. Pichai afirmou que a decisão de Trump de barrar estrangeiros de sete países afeta pelo menos 187 funcionários da companhia do setor de internet.

Pichai afirmou por e-mail lamentar o impacto dessa decisão e de qualquer proposta que possa impor restrições aos funcionários do Google e suas famílias, “ou que poderiam criar barreiras para trazer grande talento para os EUA”. Uma cópia do e-mail foi obtido pelo Wall Street Journal. “É doloroso ver o custo pessoal dessa ordem executiva sobre nossos colegas.”

Na sexta-feira, Trump assinou uma ordem executiva que, por pelo menos 90 dias, proíbe as pessoas de sete países de maioria muçulmana – Irã, Iraque, Líbia, Somália, Sudão, Síria e Iêmen – de entrar nos EUA. A ordem também proíbe indefinidamente a entrada de refugiados sírios e suspende um programa mais abrangente para refugiados. Trump disse que a decisão buscava manter fora do país “terroristas islâmicos radicais”.

Grupos pelos direitos humanos criticaram a decisão, considerando-a perseguição religiosa. Na sexta-feira, o executivo-chefe do Facebook, Mark Zuckerberg, escreveu em sua página na rede social que estava preocupado com a decisão. “Nós precisamos manter este país seguro, mas devemos nos concentrar nas pessoas que realmente representam uma ameaça”, escreveu.

Os imigrantes representam boa parte da força de trabalho do Vale do Silício, inclusive com muitos em funções de executivos. O setor de tecnologia tem defendido leis mais abertas para imigração nos EUA, dizendo que precisa de trabalhadores estrangeiros qualificados para preencher suas vagas técnicas. Pichai nasceu na Índia. “Em horas de incerteza, nossos valores permanecem o melhor guia”, afirmou o executivo do Google.

 

Fonte: Estadão Conteúdo

Maurílio Fontes

Proprietário, jornalista, diretor e responsável pelo Portal Alagoinhas Hoje