Georreferenciamento de Alagoinhas terá custo de R$ 2,5 milhões

RENATO ALMEIDA SECRETÁRIO DA FAZENDA

Uma das maiores polêmicas do orçamento 20 15 da Prefeitura de Alagoinhas são os valores alocados na Secretaria da Fazenda, estimados em R$6.386.202,24. Os vereadores, com poucas exceções, na audiência da última quinta-feira, afirmaram que o montante da SEFAZ é muito alto e alegaram que os valores direcionados para a realização do georreferenciamento da cidade deveriam ser mais baixos.

Em conversa com o editor do Alagoinhas Hoje, o secretário da Fazenda, Renato Almeida, disse que o georreferenciamento custará R$ 2,5 milhões, mas a prefeitura desembolsará R$ 250 mil, ou seja, 10% a título de contrapartida e que o trabalho possibilitará a atualização cadastral dos imóveis e consequentemente o incremento das receitas do IPTU.

Almeida defendeu a necessidade de se fazer o trabalho de geomática e informou que os 90% restantes serão captados no governo federal. “A Prefeitura de Alagoinhas investirá R$ 250 mil”, salientou o titular da Fazenda.

Maurílio Fontes

Proprietário, jornalista, diretor e responsável pelo Portal Alagoinhas Hoje