Expansão de fibra e 5G são fundamentais para digitalização do país, diz executivo da Vivo

Duas frentes têm guiado os investimentos da Vivo, maior operadora de telecomunicações no país: expansão da rede de fibra ótica e infraestrutura para a chegada do 5G.

A primeira, tecnologia mais moderna de conexão à internet, deve ampliar o acesso de brasileiros à rede. A segunda, de altíssima velocidade, mudará a forma que interagimos com o mundo.

“A expansão da fibra é fundamental para a digitalização do nosso país”, explica Marcio Fabbris, vice-presidente de B2C (business to consumer, ou empresa para consumidor) da Vivo. “Investimos nos últimos anos para construir a maior rede urbana de fibra ótica no Brasil, o que será um dos grandes diferenciais da futura rede 5G da empresa.”

A marca foi a mais lembrada pelos brasileiros na edição 2019 da Folha Top of Mind nas categorias Operadora de Telefone Celular e Operadora de Banda Larga de Internet, e acumula 20 prêmios ao longo dos 30 anos da pesquisa nacional do Datafolha.

Em relação às campanhas publicitárias, a Vivo tem apostado em parcerias com serviços de entretenimento. Quais são as próximas estratégias de marketing? Nosso objetivo é sempre oferecer serviços que vão além de dados e voz e reforçar o posicionamento como hub de conteúdo de qualidade e variedade. Nossas comunicações acompanham essa estratégia. Observamos, por meio de pesquisas e estudos, quais são as tendências de consumo e comportamento do mercado para criarmos a estratégia mais eficaz para as campanhas.

Para anunciar o nosso novo produto, o Vivo Selfie, desenvolvemos uma campanha com o conceito “O Plano que é sua cara”, uma vez que o cliente pode escolher o plano que mais se adapta aos seus interesses. Os filmes exploram de forma ficcional o processo de co-criação entre executivos da Vivo e demais marcas, para chegarem nas melhores condições dos planos, sempre com situações bem-humoradas e divertidas.

A marca tem ações voltadas à área de sustentabilidade? Lançamos a campanha Recicle com a Vivo, que faz parte deste pilar e incentivamos as pessoas a descartarem seu lixo eletrônico de forma segura em nossas lojas por todo Brasil. Para se ter uma ideia, o Brasil foi o quinto país que mais produziu lixo eletrônico em 2019, ficando atrás apenas de China, Estados Unidos, Índia e Japão, segundo o relatório The Global E-waste Monitor 2020, da ONU.

Na sua avaliação, o que é necessário para que uma marca continue na memória dos brasileiros, ou seja, Top of Mind? Acredito ser fundamental que a marca entregue, de forma consistente, qualidade em seus serviços e uma boa experiência de atendimento aos clientes, antecipando-se às suas necessidades. Além disso, somos uma marca diversa e inclusiva, conectada a temas contemporâneos e relevantes aos clientes e para a sociedade, o que contribui para gerar vínculos emocionais e maior identificação.

Fonte: Folha de São Paulo

Maurílio Fontes

Proprietário, jornalista, diretor e responsável pelo Portal Alagoinhas Hoje