Empresa canadense vai realizar pesquisa mineral no estado

A Pacific Imperial Mineração do Brasil Ltda, empresa júnior de exploração mineral canadense, assinou um contrato com a Companhia Baiana de Pesquisa Mineral (CBPM) para a realização de trabalhos de pesquisa de minérios de níquel, cobre e ferro-titânio-vanádio, em áreas pertencentes à companhia, situadas na região do município de Marcionílio Souza.

Pelo arrendamento dos direitos minerários, a empresa pagará à CBPM royalties no valor equivalente a 3% da receita bruta de vendas dos minérios beneficiados e extraídos dessas áreas e R$ 500 mil por Portaria de Lavra como Prêmio de Oportunidade.

O termo foi assinado na semana passada pelo diretor-presidente da CBPM, Alexandre Brust, o diretor-técnico, Rafael Avena Neto, e o diretor-presidente da Pacific, Licurgo Azevedo de Albuquerque. O contrato entre a companhia e a vencedora da licitação engloba uma área de 10.098,51 hectares nos municípios de Marcionílio Souza, Itaetê e Iaçu.

As sete áreas, que têm direitos minerários de propriedade da CBPM, em que a Pacific executará os trabalhos de pesquisa, já dispõem de dados e informações geológicas, incluindo dados de levantamentos aerogeofísicos desenvolvidos pela companhia baiana. Tratam-se de prospectos favoráveis para mineralizações de cromo, níquel, cobalto, ouro, ferro-titânio-vanádio e metais base, com presença marcante de formações ferríferas bandadas, com valores de ferro em rocha da ordem de 45%.

Investimento – Os trabalhos de pesquisa serão executados sob a responsabilidade técnica, gerencial e financeira da empresa Pacific, que providenciará recursos necessários para cobrir a totalidade dos custos, prevendo-se um investimento mínimo inicial da ordem de R$ 1 milhão para um programa de pesquisa de dois anos.

Fonte: Diário Oficial

 

Maurílio Fontes

Proprietário, jornalista, diretor e responsável pelo Portal Alagoinhas Hoje