E Lúcio passa no Conselho de Ética? Consenso: a parada é dura

Pesam contra o deputado federal Lúcio Vieira Lima no Conselho de Ética da Câmara três acusações, uma da PGR, pelo envolvimento dele nas malas dos R$ 51 milhões, outras da Rede e do PSOL, com base nos depoimentos dos antigos auxiliares Marinalva de Jesus e Job Brandão.

Marinalva era a empregada doméstica que recebia pelo gabinete e Job admitiu que também fazia serviços particulares, mas aí vem o pior: ambos disseram que entregavam a ele parte dos seus vencimentos.

No plenário – Deputados em Brasília dizem que a situação de Lúcio é bastante delicada. Do Conselho de Ética, que começa a trabalhar no caso a partir de terça, sairá um parecer que, contra ou a favor, será votado no plenário da Câmara. E é aí que o bicho pega, com o agravante de que 2018 é um ano eleitoral, com todos os holofotes da mídia em cima.

A tramitação do caso de Eduardo Cunha, com muitas artimanhas e a influência do então presidente durou 11 meses. Lúcio só tem uma possibilidade de atrasar: no mesmo Conselho correm três outros processos. Mas ninguém aposta um vintém.

Dos 21 membros do Conselho, quatro são baianos, Elmar Nascimento (DEM), o presidente Cacá Leão (PP) e José Carlos Araújo (PR), além de Ronaldo Carletto (PP), suplente. Elmar diz que a posição dele é a mais confortável: ‘Eu só tenho que assegurar o direito de defesa’.

Agito geral em Belmonte

Belmonte, no extremo sul da Bahia, viveu um dia agitado ontem. Rairone Moura, de 47 anos, acusado de seviciar um bebezinho de apenas quatro meses no povoado de Boca do Córrego domingo passado, foi reconhecido e preso por populares ontem.

A massa se agitou querendo linchá-lo. O assunto bombou nas redes sociais. Diziam que os moradores de Belmonte são mais eficientes do que a intervenção no Rio.

Portugal quer ir para a TVE

Depois que deixou a Secretaria de Cultura do estado, Jorge Portugal retornou à vida de sempre, dar aulas. Está dando, para o Sesi, um curso online de língua portuguesa, mas espera voltar às telas em breve.

Está articulando com a TVE a formatação de um programa no estilo Aprovado, que durante muito tempo apresentou na TV Bahia. Só espera o comando da emissora receber o ok (e o apoio) de Rui Costa.

Povo contra a maconha

Pesquisa do Instituto Paraná realizada no país mostra que a maioria do povo brasileiro é contra a descriminalização da maconha.

A reação é mais forte no Norte e Centro-Oeste, com 70,7% contra e 26,3% a favor; e no Sul, com 69,3% contra 26,7% dos favoráveis. Já no Nordeste, 65,4% são contra (30,2% a favor); e no Sudeste 63,1% contra e 32,4% a favor. Falta uma pesquisa para saber sobre o uso na fabricação de medicamentos.

Amigo de muito tempo, Leão defende Negromonte

João Leão, hoje vice-governador, e Mário Negromonte, hoje conselheiro do TCM afastado, acusado de envolvimento na Lava Jato, dividiram o mesmo apartamento (funcional) durante 20 anos em Brasília, quando os dois eram deputados federais.

Agora Leão defende o amigo:

– Se nesse tempo todo eu vi ele fazendo alguma coisa de indecente, fico naquela posição do marido traído, sou o último a saber. Simplesmente nunca vi.

Leão diz que as acusações contra Negromonte são frouxas:

– Ninguém diz que entregou dinheiro a ele. R$ 25 milhões é muito dinheiro. Cadê a grana, quem deu e onde foi colocada?

POLÍTICA COM VATAPÁ

João do Ouro

Marcelo Torres, jornalista baiano radicado em Brasília, conta mais uma de sua terra, Sátiro Dias. Diz ele que ao ouvir Tiririca fazer o único discurso na Câmara anunciando que não mais se candidatará, lembrou de João do Ouro, lá em Sátiro Dias, que renunciou à sua candidatura a vereador.

João era um cabra bom e todos lhe queriam bem, mas era visto como uma figura excêntrica e seus discursos inusitados caíam no anedotário popular, para a alegria geral.

Veio o pleito de 1988 e João, já cansado de guerra, fez nova tentativa de eleger-se vereador, mas ficou toda a campanha sem discursar, e sem revelar o motivo. Último comício, ele resolveu quebrar o silêncio:

– Nas eleições pretéritas, os senhores me ludibriaram, botaram mingau na minha boca!

Apontou a plateia, todos já rindo, imaginando que vinha chumbo grosso. E completou:

– Pois agora, meus amigos, nesta eleição, vocês vão botar é merda, pois aqui e agora, com estas palavras, eu renuncio à minha candidatura!

 

Fonte: Levi Vasconcelos/A Tarde

Maurílio Fontes

Proprietário, jornalista, diretor e responsável pelo Portal Alagoinhas Hoje