Diversificar é a chave para reduzir risco dos investimentos

A corrida eleitoral relegou a segundo plano a influência de notícias econômicas sobre várias ações da Bolsa. Desde que a disputa esquentou, empresas importantes, como Petrobras e distribuidoras de energia, reagem mais a pesquisas de intenção de voto do que ao último número do PIB, por exemplo, dificultando a vida de quem aposta nesse mercado.

Devido à hipersensibilidade política, esses papéis têm tido seu ano mais volátil desde a eclosão da crise global. Mas especialistas afirmam que, com a estratégia correta, é possível ter ganhos na Bolsa sem abrir mão da segurança. A volatilidade, que mede quão intensa é a oscilação na cotação de uma companhia, é um dos indicadores mais usados para avaliar o risco do investimento.

Fonte: Blog do Noblat

Maurílio Fontes

Proprietário, jornalista, diretor e responsável pelo Portal Alagoinhas Hoje