Dilma descarta renúncia e sinaliza luta contra impeachment

Num discurso forte hoje em Boa Vista (RR), a presidente Dilma Rousseff enviou duas mensagens. Ao dizer que suporta pressão e ameaça, deixou claro que não pretende renunciar. Ao falar que tem a legimitidade do voto, demonstrou disposição para lutar contra a articulação de um eventual processo de impeachment.

A fala da presidente foi debatida em reunião com ministros petistas realizada ontem à tarde no Palácio da Alvorada. A fim de discutir a estratégia de combate à crises política e econômica, Dilma chamou o vice-presidente Michel Temer e ministros para uma reunião no domingo em Brasília.

Outro tema do dia foi a declaração de Temer negando que vá deixar a articulação política. Ontem, ele pediu para conversar com a presidente quando soube que ministros do PT avaliaram que seu apelo na quarta-feira havia sido um gesto para enfraquecer a presidente.

O vice explicou à presidente que usou palavras fortes para tentar evitar uma derrota certa na Câmara. Afirmou que pretendia ajudar, mas, se estivesse atrapalhando, poderia deixar a articulação política.

Dilma respondeu que desejava que ele continuasse a exercer a função. Ela sabe que, enquanto durar a crise, a saída de Temer da articulação política seria interpretada como um ruptura que só a enfraqueceria ainda mais.

Ou seja, brigar com o vice é a última coisa que Dilma pode fazer.

Fonte: iG/Blog do Kennedy

Maurílio Fontes

Proprietário, jornalista, diretor e responsável pelo Portal Alagoinhas Hoje