Dilma aceita negociar o fim do fator e a jornada de 40h

A presidente Dilma Rousseff aceitou negociar o fim do fator previdenciário e a jornada de 40 horas semanais comas centrais sindicais.

No início da noite de ontem, os presidentes das centrais foram recebidos por Dilma no Planalto. Ela ouviu todas as reivindicações, mas ressaltou que não estava “prometendo nada”.

O secretário-geral da Força Sindical, João Carlos Gonçalves, o Juruna, que participou da reunião, relatou que a presidente considerou os dois pedidos “importantes, mas difíceis”.

O encontro ocorreu após a 7ª Marcha a Brasília, realizada anualmente pelas centrais sindicais, que reuniu cerca de 30 mil trabalhadores.

Além do fim do fator e da jornada de 40 horas, as centrais querem a abertura das negociações dos 12 itens da pauta trabalhista, como a correção maior da tabela do Imposto de Renda, considerando a inflação, e uma política de valorização das aposentadorias do INSS.

Dilma também disse aos sindicalistas que irá analisar todas as reivindicações apresentadas e, depois, colocará os ministros para retomar o contato com as centrais.

Ela disse, no encontro, que é preciso direcionar para a educação o lucro obtido com a exploração do pré-sal, segundo informou a assessoria da Presidência.

Antes do encontro no Planalto, os representantes dos trabalhadores estiveram com o presidente do STF (Supremo Tribunal Federal), Joaquim Barbosa, a quem entregaram as reivindicações, e, depois, com o presidente da Câmara dos Deputados, Henrique Eduardo Alves (PMDB-RN).

A marcha começou no estádio Mané Garrincha e durou cerca de três horas. Seis entidades participaram da mobilização.

Fonte: Folha de São Paulo

Maurílio Fontes

Proprietário, jornalista, diretor e responsável pelo Portal Alagoinhas Hoje