Dia das Mães: Centros de economia solidária esperam aumento de 10% nas vendas

Com a aproximação do Dia das Mães, comemorado no próximo domingo (13), o comércio registra um aumento significativo no volume de vendas e entre as muitas opções, os produtos da economia solidária vêm ganhando destaque. No Salvador Shopping, estão instaladas três lojas que integram os Espaços Solidários, onde são comercializadas peças produzidas por artesãos baianos. Entre os produtos à venda estão esculturas, pinturas, acessórios, bolsas, entre outros, que têm como ponto forte, a delicadeza dos produtos feitos à mão.

A expectativa é de que seja registrado um aumento de 10% no volume de vendas em comparação com o mesmo período do ano passado. A dona de casa Vanda Rios ficou impressionada com a qualidade dos produtos que encontrou. “Realmente o shopping estava precisando de um espaço como esse, em que encontramos trabalhos artesanais muito bonitos. As mães que assim como eu gostam desses produtos, vão ficar muito felizes com o presente”, afirma.

Somente na capital baiana, mais de 200 artesãos têm seus produtos comercializados nas lojas de Salvador, que inclui uma unidade no Salvador Norte Shopping. Os Espaços Solidários são caracterizados por oferecerem uma vasta opção de produtos, com valores acessíveis. São nestes espaços que a Secretaria de Trabalho, Emprego, Renda e Esporte do Estado (Setre) desenvolve as atividades dos Centros Públicos de Economia Solidária (Cesols).

A coordenadora do Cesol da Região Metropolitana de Salvador, Karla Ucknon explica a finalidade dessa iniciativa. “Trabalhamos com coletivos de artesãos ligados a economia solidária e oferecemos assessoria contábil, jurídica, assistência técnica em design, entre outras orientações e utilizamos os espaços solidários como momento de formação dos artesãos que participam do projeto. É um espaço em que também testamos os produtos e os profissionais podem se capacitar para atender a demanda do seu cliente. Hoje, atendemos 48 entidades que se reconhecem como empreendimento de economia solidária e os produtos são comercializados em nossas lojas”, explica.

Os Centros Públicos já atenderam mais de 2.000 empreendimentos distribuídos em municípios da Bahia, entre eles: Monte Santo, Serrinha, Vitória da Conquista, Pintadas, Valença e Cruz das Almas. “O Cesol é uma política de assistência técnica voltada para trabalhar os empreendimentos coletivos. Estamos presentes em 11 territórios baianos, com mais de 13 lojas e mais de 500 empreendimentos já comercializam seus produtos nos nossos Espaços Solidários. Temos lojas de diferentes perfis, que seguem a característica da região em que está inserida. Além das lojas, os empreendimentos comercializam em outros canais, a exemplo do programa nacional de alimentação escolar. O Centro Público faz todo um trabalho para qualificar e oferecer condições de que os profissionais acessem o mercado e obtenham a geração de renda, esclarece Lucas Guerrieri, coordenador do Centro Público de Economia Solidária.

Em Salvador, as lojas instaladas nos shoppings funcionam de domingo a domingo e seguem o horário de funcionamento do centro comercial. Para a artesã Luiza de Cássia a experiência tem sido gratificante. “Temos a chance de oferecer produtos artesanais e para nós profissionais o reconhecimento do trabalho bem feito tem sido muito prazeroso. O contato com o cliente é enriquecedor. Para além disso, os Espaços Solidários nos despertou para a importância desse novo movimento que é a economia solidária”, conta.

 

Fonte: Secretaria de Comunicação – Foto: Elói Corrêa/GOVBA

Maurílio Fontes

Proprietário, jornalista, diretor e responsável pelo Portal Alagoinhas Hoje

Menu de Topo