Debate expõe dificuldade de “desconstrução” de Marina

Os números do Ibope mostram que Marina Silva (PSB) conseguiu romper a polarização PT-PSDB que domina a disputa presidencial há 20 anos.

De acordo com a pesquisa, Marina venceria a presidente Dilma Rousseff no segundo turno. Ela consegue representar melhor do que Aécio Neves (PSDB) o sentimento mudancista manifestado por cerca de 70% do eleitorado. Marina também tem a menor taxa de rejeição entre os principais candidatos. Ela marcou 10% de rejeição na pesquisa, contra 18% de Aécio e 36% de Dilma.

Esse dado torna difícil o retorno do tucano ao segundo lugar e também dificulta o embate para Dilma numa eventual segunda etapa da eleição. A pesquisa mostra ainda que Aécio não conseguiu sair da faixa dos 20% de intenção de votos e que não houve melhora nos índices de avaliação do governo Dilma.

O debate entre os candidatos não trouxe nenhum fato capaz de mudar o quadro eleitoral. Ninguém conseguiu se destacar, mas também não houve dano irreversível a nenhum dos candidatos.

A tarefa de Dilma e Aécio de “desconstruir” Marina Silva se revelou difícil. Marina é uma política com biografia e experiência. Ela partiu para o ataque, questionando as respostas da presidente Dilma sobre as manifestações de junho e julho de 2013. Também contra-atacou Aécio quando ele criticou as alianças do PSB. Foi Marina quem melhor se destacou em termos de imagem e mostrou mais segurança ao falar.

As perguntas dos jornalistas trouxeram temas difíceis para o governo e mais favoráveis à oposição. Apesar disso, não houve tropeço da presidente. O debate não deve representar nenhuma alteração do cenário mostrado pela pesquisa Ibope.

Fonte: Blog do Kennedy

Maurílio Fontes

Proprietário, jornalista, diretor e responsável pelo Portal Alagoinhas Hoje