Dantas Bião: um hospital à beira da morte – Maurílio Fontes

A morte de um componente da Banda Calcinha Preta, cuja principal causa foi a falta de estrutura do Hospital Regional Dantas Bião, resultou apenas em mais um número que se juntou às estatísticas diárias registradas na unidade de saúde.

Governos, via de regra, consideram a saúde cara e não investem de verdade na melhoria desta área. Com isso, a sociedade paga com a vida em função da irresponsabilidade e descaso daqueles que deveriam agir e não apenas publicizar as ações em prol da comunidade.

Quando grafo governos registro que as diversas matizes partidárias percebem a saúde como um sobrepeso a ser carregado, como se não houvessem obrigações morais e constitucionais que impusessem a melhoria da saúde pública.

Neste momento pré-eleitoral, como sempre acontece, muitos apresentarão soluções mirabolantes para transformar o Dantas Bião numa unidade de referência em diversas áreas da medicina.

Não devemos acreditar,venham de onde vierem os discursos falaciosos, que servem para preencher espaços em planos de governos. Nada mais do que isso.

A vida, nosso bem maior, deveria ser tratada com mais respeito, dignidade, espírito público e não servir como manobra de políticos em busca de poder, pois aquele que alcançar a chefia do Executivo, a partir das costumeiras desculpas, relegará a saúde do povo de Alagoinhas e região a um plano secundário.

O Dantas Bião é um hospital à beira da morte e, simbolicamente, respira por aparelhos como um paciente terminal. Fazer a sua eutanásia não seria a solução, pelo menos neste momento.

Contudo, há que se pensar na construção de um novo hospital em Alagoinhas, erguido em local mais adequado, com estrutura para atender a população de municípios da microrregião. São mais de 800 mil pessoas demandando serviços públicos de saúde.

A saúde não pode ser apenas um mote de campanhas eleitorais e instrumento para acusações de parte a parte entre os contedores ao governo do estado.

Arranjos paliativos nada resolverão. Que venham as soluções e não desculpas.

Maurílio Fontes

Proprietário, jornalista, diretor e responsável pelo Portal Alagoinhas Hoje