Crescem os golpes com cartões de crédito

Clonagem de cartões de crédito é o crime mais frequente no mundo online - Foto: Joá Souza l Ag. A TARDE l 24.01.2013A jornalista I.S. enfrenta atualmente um problema: compras efetuadas por cartões clonados, há quase um ano, acabaram culminando com o registro do nome dela, indevidamente, no Serasa.  De posse de todos os números dos protocolos de comunicação de compras não reconhecidas que foram feitos junto à Central de Cartões da Caixa Econômica Federal, bem como à operadora Mastercard, a jornalista pretende agora prestar queixa oficialmente no Procon, podendo abrir processo judicial contra o banco e a empresa por danos morais e materiais.

O caso da jornalista  é mais comum do que se imagina. De acordo com o Comitê de Segurança e Prevenção à Fraude da Associação Brasileira das Empresas de Cartões de Crédito e Serviços (Abecs), pelo menos um, entre quatro brasileiros, já foi vítima de fraudes com cartões de créditos.

Na Bahia, somente do início do ano até a última sexta-feira, já foram registradas 2.025 queixas no Procon sobre clonagens e outras fraudes relacionadas a cartões de crédito.

Para o especialista em tecnologia de segurança nessa área, Rogério Coradini, os próprios avanços tecnológicos oferecidos pelas redes bancárias e operadoras de cartões de crédito para compras online, a partir de computadores e aparelhos móveis, como tablets e celulares, devem ser acompanhados, paralelamente, em investimentos pelas instituições de ferramentas mais seguras de proteção aos clientes e ao próprio negócio da empresa.

Compras online

“A modernidade trouxe também um fenômeno cada vez mais praticado por golpistas que enxergaram a prática de compras no crédito como uma nova forma de fraudar a identidade das pessoas para roubos de senhas e operações bancárias não-autorizadas”, diz.

Ele alerta para a importância da criação, gerenciamento e uso de soluções de identificação segura.

Isto porque toda a responsabilidade por compras não reconhecidas pelo consumidor é da empresa: banco ou operadora do cartão de crédito. “É um risco do negócio, e o consumidor não pode e não deve ser penalizado por isso”, explica o diretor de Atendimento e Orientação ao Consumidor do Procon na Bahia, Lucas Menezes, frisando que cabe às empresas criar mecanismos de proteção do negócio e do consumidor  de seus produtos.

Menezes ainda alerta que o consumidor tem o direito de não ser cobrado pelos valores que não reconhece, pedindo a suspensão da cobrança e, caso a cobrança seja de má fé, mesmo depois de ter comunicado o não reconhecimento da compra, pode até solicitar o ressarcimento do valor em dobro.

É o que prevê o parágrafo único do artigo 42 do Código de Defesa do Consumidor: “Ou seja, toda a cobrança indevida pode ensejar ressarcimento em dobro”, destaca o diretor do Procon.

A sede do órgão na Bahia fica na Avenida Carlos Gomes, no centro de Salvador.

Ssaiba como evitar a ação dos golpistas

Bloqueie logo – Assim que notar uma compra que não reconheça, comunique o quanto antes à instituição responsável e solicite o bloqueio do cartão.  Anote e guarde todos os números dos protocolos de atendimento

Faça um BO – Por medida de segurança, faça um boletim de ocorrência, pois ele ajudará os órgãos responsáveis a tentar identificar os golpistas, além de assegurar o ressarcimento da compra indevida

Preserve dados – Nunca forneça informações confidenciais por telefone a estranhos, como nome completo, CPF, RG, data de nascimento e endereço. Da mesma forma, guarde sempre seu cartão de crédito em local seguro e não deixe senhas anotadas em papéis ou no computador. Memorize-as

Senha segura – Nunca utilize senhas que contenham data de nascimento ou casamento, nomes de familiares ou números de residências. Troque-a sempre de três em três meses, inclusive nos caixas eletrônicos

Sem uso e estorno – Cartões de crédito que tenham expirado a validade devem ser cortados em pedaços de forma que fiquem ilegíveis ao ser
jogados no lixo. Em caso de fraude, a instituição responsável pelo cartão é obrigada a estornar a compra e fornecer outro cartão com nova série numérica.

Fonte: A Tarde

Maurílio Fontes

Proprietário, jornalista, diretor e responsável pelo Portal Alagoinhas Hoje