Conselho de Segurança da ONU estuda novas sanções contra Coreia do Norte

O Conselho de Segurança da ONU afirmou nesta terça (12) que “condena fortemente” o terceiro teste nuclear conduzido pela Coreia do Norte horas antes, e se colocou a favor de tomar medidas contra Pyongyang, afirmou o presidente da entidade.

“Os membros do Conselho de Segurança condenam fortemente o teste, que é uma grave violação das resoluções do conselho”, afirmou o ministro das Relações Exteriores sul-coreano, Kim Sung-hwan, cujo país é o presidente da entidade neste mês. Ele afirmou que o conselho consideraria “medidas apropriadas”.

A embaixadora dos EUA na ONU, Susan Rice, disse que Washington e seus aliados pretendem “aumentar o regime de sanções” já em vigor contra a Coreia do Norte, devido aos testes atômicos realizados em 2006 e 2009.

A Coreia do Sul, atual presidente do Conselho de Segurança da ONU, convocou uma reunião de urgência após o teste nuclear norte-coreano.

TESTE

A Coreia do Norte informou nesta terça-feira que realizou “com sucesso” o seu anunciado terceiro teste nuclear, depois dos produzidos em 2006 e 2009, segundo a agência estatal KCNA.

Pouco tempo antes, o governo sul-coreano também confirmara o teste após detectar um terremoto de pouco mais de magnitude 5 no condado de Kilju, que abriga a base de Punggye-ri, na qual teria ocorrido a detonação.

A Coreia do Norte destacou que o teste nuclear de hoje teve “maior nível” que os anteriores, em 2006 e 2009, e informou que conseguiu reduzir o tamanho e o peso da bomba, em uma mostra que o país avançou em seu objetivo de dotar seus mísseis balísticos de capacidade atômica.

O regime de Kim Jong-un qualificou sua ação como uma “medida prática” para fazer frente às “hostilidades” dos Estados Unidos, país que há alguns dias o líder norte-coreano chamou de “inimigo jurado”.

Fonte: Folha de São Paulo

Maurílio Fontes

Proprietário, jornalista, diretor e responsável pelo Portal Alagoinhas Hoje