Com safra, álcool cai mas ainda não é competitivo

O clima favorável na segunda quinzena de abril permitiu um avanço na safra de cana-de-açúcar na região centro-sul.

O resultado é uma oferta maior de álcool e uma redução dos preços desse combustível nas usinas do centro-sul e nas bombas dos postos da cidade de São Paulo.

Pesquisa da Folha, feita em 50 postos de todas as regiões da cidade, indicou uma redução média de 1,3% nos preços do etanol hidratado na semana passada, em relação à anterior

Já a gasolina permaneceu com preços estáveis no mesmo período.

O acompanhamento semanal de preços da Folha apurou um valor médio de R$ 1,992 para o litro de álcool na capital. Já a gasolina foi comercializada, em média, a R$ 2,798 por litro.

Considerando esses valores médios apurados pelo jornal, o álcool vale 71% do preço da gasolina. Com esse percentual ainda é recomendável a utilização do derivado de petróleo.

Pesquisas indicam que, dependendo do modelo do veículo, a utilização do etanol só é recomendável quando o preço desse combustível for 70% (ou menos) do valor da gasolina.

O consumidor deverá, no entanto, fazer os próprios cálculos para saber como está essa paridade no posto que costuma abastecer.

Com o avanço da safra, o preço do álcool deverá continuar caindo nas próximas semanas. Alguns postos de São Paulo já comercializam o combustível a R$ 1,798 por litro, bem abaixo da média.

Em compensação, outros estabelecimentos mantêm os preços pré-safra, vendendo o derivado de cana a R$ 2,2 por litro.

USINAS

Os valores de negociações na porta das usinas também estão em queda nesta semana, em relação à anterior. O etanol hidratado foi negociado a R$ 1,1255 por litro, com queda de 4,51%. O anidro ficou estável em R$ 1,3274 por litro.

Os preços foram apurados pelo Cepea (Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada) e não contêm impostos.

Até 23 de abril, 190 usinas do centro-sul já haviam entrado em operação nesta safra 2013/14. A estimativa da Unica (União da Indústria de Cana-de-Açúcar) é que pelo menos 260 já estavam em operação no início deste mês.

As usinas da região deverão moer 590 milhões de toneladas de cana neste ano, com estimativa de produção de 14,2 bilhões de litros de álcool hidratado, 12% mais do que no ano passado.

Já a produção de etanol anidro, o que vai misturado à gasolina, deverá subir 28%, para 11,2 bilhões de litros, segundo a Unica.

Fonte: Folha de São Paulo

Maurílio Fontes

Proprietário, jornalista, diretor e responsável pelo Portal Alagoinhas Hoje