Com Galaxy, TV OLED e HB20, empresas sul-coreanas conquistam brasileiros

Enquanto a economia mundial volta boa parte da atenção para os chineses, aqui no Brasil os sul-coreanos ganham mercado e conquistam os consumidores com produtos que são febre nacional, como os celulares da linha Samsung Galaxy, os carros HB20 e Veloster (ambos da Hyundai), e as SmarTVs da LG.

Em 2013, o fluxo de investimentos sul-coreano no Brasil foi de US$ 544 milhões, número 494% maior do que os US$ 110 milhões de aporte chinês, segundo dados do Banco Central. No ano passado, 31 novas empresas sul-coreanas desembarcaram no País, de acordo com dados Agência Nacional de Comércio Exterior da Coreia do Sul (Kotra). O forte das empresas é alta tecnologia.

Sérgio Freidheim, diretor de Marketing da LG Electronics, afirma que 2014 é um ano muito positivo para a empresa no Brasil, conhecida principalmente pela qualidade de telas e displays. “A estrela do ano será a TV OLED. Fomos a primeira empresa do mercado a conseguir lançar comercialmente essa tecnologia. Também destacamos a Ultra HD 4K com altíssima qualidade de imagem, com resolução quatro vezes maior que a Full HD”, diz Freidheim.

O que move o desenvolvimento das linhas da empresa, segundo o executivo, é o melhoramento da experiência e a capacidade de imersão do usuário no ato de ver TV. “A tendência é os consumidores enxergarem cada vez mais as smart TVs como uma forma de aprimorar a experiência.”

Além de ter boa participação no mercado de TVs, a LG ampliou em 31% (de 2013 para 2014) seu portfólio na área de Mobile Communications, com 22 lançamentos apenas Brasil. Em julho, a empresa lançou o smartphone G3, top de linha, e o primeiro do mercado a contar com tela Quad HD, a maior resolução disponível nesse segmento. No Brasil, a LG é a segunda no mercado de smartphones, com 22% de participação, atrás apenas da também coreana Samsung, que tem 42% do mercado, segundo dados do IDC.

Além disso, Freidheim enfatiza que a empresa realiza campanhas “tropicalizadas” – que conversam diretamente com o consumidor brasileiro e falam sobre o que ele quer ouvir, em sua língua. A LG tem unidades de produção em Taubaté (SP) e Manaus (AM) e emprega aproximadamente 6.594 funcionários, englobando as fábricas, a sede em SP e o Centro de Pesquisa e Desenvolvimento, que fica em São Paulo.

A Samsung foi uma das primeiras sul-coreanas a desembarcar por aqui. Desde 1986 a empresa tem uma das maiores áreas fabris na Zona Franca de Manaus e hoje é líder no segmento de smartphones, apoiada na diversificada família Galaxy, que tem produtos para todos os bolsos.

Além de uma planta em Manaus (AM), a Samsung tem uma unidade em Campinas (SP), onde produz todos os eletrônicos que comercializa no Brasil (com exceção da linha de Home Appliance). Gera atualmente 12 mil empregos diretos.

Mercados

A Coreia do Sul é diferente da irmã, a comunista Coreia do Norte, mas tem uma apetite que vale pelas duas nações, com grandes participações em mercados de países emergentes. Bons exemplos são a companhia de ferro e aço, Posco (3ª maior do mundo), e a Daewoo, empresa com 20 divisões de produtos voltados para o setor automotivo, tem participação importante na indiana Tata Veículos e em divisões da norte-americana GM.

Com o foco nos mercados em desenvolvimento dos Brics (Brasil, Rússia, Índia e China), a Hyundai Motor chegou ao Brasil em 2011 com uma fábrica para abastecer diretamente o mercado local, depois se instalar na Índia, China e Rússia.

A estratégia da empresa foi lançar uma série de modelos da linha do HB20, para gostos, padrões e preços diferentes. O intuito era conquistar o consumidor brasileiro que ainda desconfiava dos coreanos, pois estava muito ligado a marcas presentes há décadas no Brasil. O diferencial apresentado: requinte no design e tecnologia comum a todas as unidades, mas com diversificação de preço no portfólio.

Recentemente a montadora celebrou os dois anos de lançamento do HB20 batendo a venda de 300 mil unidades vendidas no período. A Hyundai também é a criadora do Veloster e rivaliza com a conterrânea, a Kia Motors.

Segundo dados da Fenabrave (Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores), em setembro, o HB20 hatch ficou na quarta colocação em vendas, com 9.904 unidades. No acumulado, de janeiro a setembro, o veículo foi responsável por 85.568 emplacamentos.

A Hyundai Motor Brasil possui uma planta em Piracicaba, interior de São Paulo, inaugurada em 2012. Hoje, opera em três turnos, empregando 2.700 funcionários e com capacidade de produzir até 180 mil veículos HB20 ao ano.

Fonte: iG

 

Maurílio Fontes

Proprietário, jornalista, diretor e responsável pelo Portal Alagoinhas Hoje