BNDES aprova R$ 1 bi para três complexos de energia eólica

O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) aprovou financiamento para três complexos de energia eólica no País, com volume total de recursos de R$ 1,07 bilhão. Os recursos contemplam dois financiamentos de longo prazo, para projetos no Ceará e no Rio Grande do Norte, além de empréstimo-ponte para um complexo com 12 usinas eólicas e linhas de transmissão no Rio Grande do Sul. A previsão é que os projetos tenham potencial de geração de até 480,19 MW.

O Complexo de Itarema (CE) receberá R$ 652,5 milhões, com potencial instalado de 207 MW. Ao todo, ele terá nove parques eólicos que serão construídos em duas fases, com previsão de inauguração completa até setembro do próximo ano. A primeira fase deverá entrar em operação em fevereiro com quatro usinas, segundo o banco de fomento. A expectativa é que o projeto gere 2,4 mil empregos diretos e 2,5 mil indiretos. Do total de recursos liberados, R$ 3,5 milhões serão aplicados em projetos sociais no entorno do complexo eólico, ainda não definidos.

As sociedades referentes ao empreendimento foram vencedoras do Leilão de Energia Nova, de novembro de 2013

Cada um dos parques eólicos do projeto constitui uma Sociedade de Propósito Específico (SPE), ligadas à Itarema Geração de Energia S.A., do fundo de investimentos Rio Energy, ligado à gestora de private equity americana Denham Capital.  De acordo com o BNDES, cada SPE foi beneficiada por financiamento da linha project finance. “Para cada uma foi feita uma operação nessa modalidade, em que o pagamento é calculado com base no fluxo de caixa das empresas”, diz o banco, em nota.

O BNDES também liberou R$ 273 milhões para o projeto do Complexo Vamcruz, localizado na Serra do Mel (RN). O empreendimento é capitaneado pela holding de mesmo nome formada pela Centrais Hidroelétricas do São Francisco (Chesf), com 49%, em associação com o francês Grupo Voltalia (25,6%) e o cearense Encalso Construções LTDA (25,4%). Ao todo serão quatro parques eólicos com potencial de geração de 93 MW. Também está prevista a destinação de R$ 3 milhões para projetos sociais, como a expansão do abastecimento de água  na região.

O terceiro projeto contemplado pelo BNDES é o Complexo de Hermenegildo, nos municípios de Santa Vitória do Palmar e Chuí, no Rio Grande do Sul. Foram aprovados R$ 144,9 milhões em empréstimo-ponte para implantação de 12 usinas eólicas e seu sistema de transmissão. “O empréstimo-ponte visa agilizar a realização de investimentos por meio da concessão de recursos no período de estruturação da operação de longo prazo. Os pedidos de empréstimos-ponte foram apresentados pelas quatro SPEs constituídas pela Eletrosul em sociedade com a Renobrax para construir e operar as usinas”, informou o banco.

As sociedades referentes ao empreendimento foram vencedoras do Leilão de Energia Nova, de novembro de 2013. O objetivo é a venda de energia por meio de Contratos de Comercialização de Energia no Ambiente Regulado (CCEAR), pelo período de 20 anos com contratos reajustados pelo IPCA. Ao todo, o potencial de geração é de 180,79 MW.

Fonte: O Estado de São Paulo

 

Maurílio Fontes

Proprietário, jornalista, diretor e responsável pelo Portal Alagoinhas Hoje