Aulas estão suspensas em escolas municipais de Alagoinhas

Sem merenda e limpeza de sanitários e salas de aula, em razão da continuidade da greve dos trabalhadores da Fácil Serviços, a Secretaria da Educação e diretores de diversas escolas municipais de Alagoinhas suspenderam as aulas, prejudicando o cumprimento do calendário escolar.

O mais grave: sem possibilidade de reposição das aulas perdidas porque os professores, na prática, não paralisaram suas atividades e não serão obrigados a repor conteúdos. Prejuízos garantidos para os alunos.

Uma fonte, sob condição de anonimato, afirmou ao Alagoinhas Hoje que a Secretaria Municipal de Administração (SEMAD), gestora do contrato, está negligenciado as cobranças a serem direcionadas à prestadora de serviço, que costumeiramente ao longo do período de fornecimento de mão de obra vem descumprindo suas obrigações trabalhistas. “A SEMAD é a grande responsável pelos prejuízos causados aos estudantes das escolas municipais”, disse a fonte.

O vereador Radiovaldo Costa (PT), em conversa no final da manha desta terça-feira com o editor do Alagoinhas Hoje, salientou que a administração municipal precisa adotar posturas mais rígidas e exigir da Fácil Serviços o cumprimento das cláusulas contratuais. “Mas até agora não se tem conhecimento de nenhuma medida do governo no sentido de cobrar da empresa a regularização dos direitos dos trabalhadores”, pontuou, acrescentando “que  existem razões de sobra para a punição da empresa e até mesmo para o rompimento do contrato”. 

Além de prejudicar seus trabalhadores, a incompetência da Fácil Serviços agora prejudica também os estudantes das escolas municipais que paralisaram as atividades. 

O Alagoinhas Hoje não conseguiu levantar o número de escolas que estão sem aulas.

Maurílio Fontes

Proprietário, jornalista, diretor e responsável pelo Portal Alagoinhas Hoje