Arthur Maia critica decisão do PMDB de indicar quadros à administração de ACM Neto

O deputado federal Arthur Maia criticou hoje a decisão de seu partido, o PMDB, de indicar quadros à administração do prefeito ACM Neto (DEM). Apesar do tom ameno, as críticas foram feitas durante a a apresentação à imprensa baiana da candidatura do deputado federal Sandro Mabel à liderança nacional do PMDB  e surpreenderam.

“O partido não deveria ter feito isso. Temos eleição em 2014 e o PMDB tem como opção uma candidatura própria, para a qual o nome mais forte é o de Geddel (Vieira Lima, atual vice-presidente de Pessoa Jurídica da Caixa), apoiar alguém no campo da oposição ou compor com o governo estadual”, disse Maia.

Para ele, como o governador Jaques Wagner, que se tornou desafeto de Geddel e de seu irmão, Lúcio Vieira Lima, presidente do PMDB baiano, não é mais candidato, o PMDB tem condições de abrir um diálogo com qualquer dos candidatos a governador pelo PT – ele citou nominalmente os secretários Rui Costa e José Sérgio Gabrielli e o senador Walter Pinheiro.

Exatamente por ter à disposição este leque de opções, o PMDB, na visão de Maia, não deveria participar de um governo de um partido que faz oposição aos governos estadual e federal. “O melhor caminho para o PMDB agir seria não ter cargos nos governos estadual nem municipal e botar o bloco na rua”, disse, sugerindo o nome de Geddel para a tarefa.

Foi a primeira vez que Arthur Maia falou de público sobre o tema. Ele disse que não tem nenhum tipo de problema pessoal com o novo prefeito e ressalvou que não foi convidado a se manifestar sobre a decisão do PMDB de indicar quadros à administração. Ressaltou ainda que tem ótima relação pessoal com Geddel, mas nunca foi convidado a compor a executiva estadual do partido. Fonte: Política Livre

Maurílio Fontes

Proprietário, jornalista, diretor e responsável pelo Portal Alagoinhas Hoje